Notícia

Agência C&T (MCTI)

Pesquisa de manufatura avançada ganha nova sede

Publicado em 31 outubro 2007

Levar inovação tecnológica e melhores práticas de gestão à indústria brasileira são objetivos que, há dez anos, unem centenas de pesquisadores, professores, estudantes e empreendedores em torno do Núcleo de Manufatura Avançada (NUMA), uma rede virtual de grupos e institutos de pesquisa em Engenharia de Produção.

Produção.

Para comemorar a década de trabalho, o NUMA inaugura, nesta quarta-feira sua nova sede, no campus da USP em São Carlos. A agenda co meça às 9 horas, no auditório "Jorge Caron", da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), e inclui pronuncia mentos, debates, palestras, simpósio e demonstrações técnicas com especialistas, autoridades políticas e dirigentes científicos do Brasil e do exterior.

De manhã, os destaques são as palestras do empresário japonês Masahiko Mori, presidente da indústria Mori Seike, uma das maiores fabricantes de máquinas-ferra mentas do mundo, e do presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Supeior (Capes), Jorge Guimarães, que recebe, no evento, homenagem do presidente da Câmara Municipal de São Carlos, Edson Firmiano.

Em seguida, às 12h10, será oficialmente inaugurada a nova sede do NUMA, ao lado do prédio do Departamento de Engenharia de Produção. Após o almoço, a partir das 14h10, um simpósio sobre "Manufatura Avançada" e uma sessão de pôsteres e de monstrações  completam a agenda de trabalhos (veja a Programação).


Instalações

O novo prédio do NUMA é um ambiente ideal para se conhecer as tendências tecnológicas que influenciam e transformam as estratégias e rotinas de produção industrial. No interior da moderna e arejada construção, sistemas mecatrônicos, máquinas inteligentes, redes de computa dores e mapas conceituais diversos — além, é claro, de pesquisadores — revelam e ilustram a busca pelo aprimoramento dos processos fabris.

O financiamento dessas instalações sofisticadas e das pesquisas ali desenvolvidas também segue um modelo inovador, que envolve programas de parceria com dezenas de empresas privadas, mais recursos da própria USP e de agências de fomento governamentais, como a Fapesp (estadual) e Capes, Finep e CNPq (federais). O retorno vem na forma de intercâmbio de conhecimento e transferência de tecnologia.

Atividades

As pesquisas conduzidas no NUMA geraram, em dez anos, centenas de artigos científicos, dissertações, teses e algumas dezenas de empresas de base tecnológica, criadas por pesquisadores com vocação empreendedora, num processo conhecido co mo spin-off. A maioria delas fornece produtos e serviços especializados para grandes indústrias de manufatura, como Embraer (aeronáutica), Volkswagen (automotiva) e Eaton (autopeças).

O NUMA também é sede do Instituto Fábrica do Milênio (IFM), criado pelo CNPq com objetivo de agregar competências e estimular pesquisas cooperativas entre 32 diferentes grupos de diversas instituições, inclusive do exterior. Em três anos, o IFM reuniu 600 pesquisadores, interagiu com 400 em presas e gerou 14 patentes, todas com aplicação direta na indústria.