Notícia

Rede Lajeado

Pesquisa da Pós-Graduação em Fisioterapia da UFSCar recruta voluntários asmáticos para estudo com teste de caminhada

Publicado em 23 janeiro 2014

Pesquisa realizada no Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está selecionando voluntários com diagnóstico médico de asma para participar de estudo com teste de caminhada com velocidade controlada. Os candidatos, de ambos os sexos, devem ter entre 18 e 45 anos de idade, realizar acompanhamento médico regular, não fumar ou ser ex-fumante e não apresentar quadro de crise. Além disso, não devem possuir outra doença pulmonar, não ser gestante e não ter limitações ortopédicas ou cardíacas que impeçam a realização de exercício.

 

O projeto, intitulado “Avaliação da reprodutibilidade e da validade do teste de caminhada com velocidade controlada (Shuttle Walk Test), para determinação da Broncoconstrição Induzida pelo Exercício”, é realizado com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), pela doutoranda Adriana Sanches Garcia de Araújo, sob orientação de Valéria Amorim Pires Di Lorenzo, professora do Departamento de Fisioterapia (DFisio) da UFSCar.

 

O diagnóstico da Broncoconstrição Induzida pelo Exercício (BIE) é importante porque, segundo as pesquisadoras, a BIE é um grande fator de risco para morte súbita na população asmática, sendo responsável pela maioria das crises de asma na infância com alta prevalência em indivíduos com diagnóstico de asma, sendo que 10% dos quadros de BIE acometem indivíduos sem diagnóstico de asma. A prevenção ocorre por meio de um teste de esforço máximo realizado em esteira rolante ou cicloergômetro, técnica pouco utilizada pelo seu alto custo.

 

Como uma alternativa, a pesquisa do PPGFt pretende realizar caminhadas em esteira pelos voluntários, com velocidade controlada progressivamente. São cinco encontros, sendo que a preparação, a caminhada e a avaliação duram entre 40 e 50 minutos. Segundo Adriana Araújo, o objetivo é comparar essa proposta com o teste de esforço máximo. Se comprovada a validade da caminhada para o diagnóstico de Broncoconstrição Induzida pelo Exercício, o teste poderá ser amplamente utilizado em um diagnóstico preventivo da BIE. O estudo também conta com a participação de um médico durante a realização do teste de esforço cardiopulmonar.

 

Segundo Adriana, ao participar da pesquisa os voluntários terão acesso a um diagnóstico sobre Broncoconstrição, podendo avaliar com seu médico o tratamento adequado para seu quadro de asma. “Isso evita complicações da Broncoconstrição e permite que o paciente possa realizar atividades físicas com mais segurança”, esclarece a pesquisadora.

Interessados em participar da pesquisa podem entrar em contato com Adriana pelo telefone (16) 8158-7480 ou pelo email garciadrica@hotmail.com.