Notícia

Gazeta da Semana

Pesquisa comprova a rica biodiversidade da Baia do Araçá

Publicado em 10 agosto 2015

A Baía do Araçá nunca esteve tão viva. É o que comprova pesquisa científica que resultou na publicação “Vida na Baía do Araçá, Diversidade e Importância” lançada na última sexta-feira (7), nas dependências da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur) de São Sebastião, com a presença de representantes da área acadêmica, estudantes, moradores, ambientalistas e integrantes do Ministério Público, além dos responsáveis pelo Projeto Biota/Fapesp-Araçá.

Em três anos de estudos, com o envolvimento de 170 pesquisadores de 35 instituições de ensino do país e exterior, foram constatados a existência de 1.364 tipos de organismos, sendo 56 novas espécies para a ciência, mais de 140 observadas pela primeira vez, comprovando a rica biodiversidade de toda a Baiá do Araçá.

Localizada na parte central do Canal de São Sebastião, ela faz parte da Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Norte e da Área de Proteção Ambiental Municipal dos Alcatrazes. A publicação aponta que, “além de conter um dos últimos remanescentes de manguezal entre Bertioga e Ubatuba e de abrigar alta diversidade biológica, a Baía do Araçá é importante reduto de pescadores artesanais que utilizam pequenas canoas caiçara para pesca e transporte, uma tradição no Litoral Norte. A baía tem uma grande importância local e regional prestando serviços e trazendo benefícios para a sociedade”.

Ao apresentar a publicação, uma das coordenadoras do projeto, a bióloga, oceanógrafa e docente da Universidade de Campinas (Unicamp), Antonia Cecília Zacagnini Amaral, agradeceu o apoio de todos os envolvidos no projeto, inclusive do Centro de Biologia Marinha (CebiMar), sediado no município, pela estrutura que possibilitou os trabalhos de pesquisa e os resultados, mostrando a importância da Baía do Araçá para a sustentabilidade da vida marinha, da subsistência de outras espécies e da população caiçara. “O Araçá está vivo”, disse a estudiosa que atua na região desde 1987 e afirma que essa vida está aumentando.

De acordo com Cecília, a proposta desse trabalho, que tem uma linguagem mais acessível, é levar esse conhecimento às universidades, escolas, à sociedade e todos os segmentos para divulgar a força de vida que tem no Araçá e que muitos desconhecem. Ela explicou que já estão formatados mais quatro trabalhos para serem publicados.

Para o secretário do Meio Ambiente, Eduardo Hipólito do Rego, a publicação caracteriza e torna transparente todo um trabalho científico produzido que precisa chegar ao conhecimento do público. “O Araçá tem uma rica vida que precisa ser conhecida”, frisou Hipólito.

O evento contou com a presença de pesquisadores, estudantes, integrantes do projeto, coordenadores, ambientalistas da região, moradores e representantes do Ministério Público de São Sebastião.

Promotor da área ambiental do MP, Tadeu Salgado Ivahy Badaró Júnior, integrante do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema), falou da importância do trabalho para comprovação cientifica da vida no Araçá e deu panorama da situação judicial em relação ao processo de ampliação do porto de São Sebastião.

Programa

Criado em março de 1999, o Programa de Caracterização, Conservação, Restauração e Uso Sustentável da Biodiversidade tem como componente a aplicação de conhecimento na criação de aperfeiçoamento de políticas públicas na área ambiental e nos últimos anos tem estimulado a divulgação dos resultados de seus projetos para além dos muros da academia. O livro é um dos resultados do projeto temático “Biodiversidade e funcionamento de um ecossistema costeiro subtropical: subsídios para gestão integrada”. Ele apresenta a biodiversidade da Baía do Araçá no contexto de suas caracteristicas geográficas, históricas e socioeconômicas.

O livro demonstra o avanço do conhecimento cientifico sobre a biodiversidade e sua relevância socioeconômica, imprescindíveis para aperfeiçoar os instrumentos legais cujos objetivos são reduzir os impactos das ações antrópicas e contribuir para apreservação dos recursos.