Notícia

Agência C&T (MCTI)

Pesquisa avaliará condições sanitárias dos pesqueiros

Publicado em 06 dezembro 2007

A condições sanitárias dos pesqueiros serão avaliadas por pesquisa recém-aprovada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O trabalho tem como objetivos analisar a fauna parasitária e possíveis enfermidades em peixes de pesqueiros tipo pesque-pague localizados nas bacias hidrográficas do Baixo Tietê e Turvo Grande, na região Noroeste Paulista. Outro objetivo é verificar a existência de microcistinas nesses corpos d'água e quantificá-las.

Coordenado pelo pesquisador científico Sergio Schalch, o projeto reunirá como parceiros o instituto de Pesca (Centro Avançado de Pesquisas Tecnológicas do Agronegócio do Pescado Continental, de São José do Rio Preto); o Departamento de Patologia Veterinária da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV) da Universidade Estadual Paulista (Unesp); o Instituto Adolfo Lutz (Seção de Química Biológica); e o Pólo Regional do Noroeste Paulista (Laboratório de Piscicultura) da APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

A escolha da Fapesp em fomentar o projeto se deve ao contexto encontrado na criação de pesca do Estado. De acordo com o pesquisador, a criação intensiva torna os peixes mais susceptíveis às enfermidades, como decorrência do estresse infringido pelo manejo zootécnico e pela má qualidade da água. Esta última favorece a proliferação de organismos com potencial patogênico (alérgico), acarretando surtos de doenças infecciosas e parasitárias, prejudicando sobremaneira a atividade.

A pesquisa consistirá na observação de toda a superfície externa do peixe, bem como das'brânquias, a olho nu e com auxílio de lupa e microscópio de luz. Será feita raspagem do tegumento e das brânquias, para observação ao microscópio, entre lâmina e lamínula, para eventual presença de cistos ou esporos de parasitos.

As vísceras serão removi das para investigação de enfermidades e alterações estruturais; em caso positivo, os órgãos irão para posterior análise histológica. O conhecimento dessas enfermidades que afetam peixes de água doce poderá ajudar, aponta o pesquisador, a fornecer subsídios importantes para o planejamento de medidas sanitárias em pisciculturas. (Da Redação)