Notícia

Educação Integral

Pesquisa aponta que estudo de Literatura no Brasil está defasado há quatro décadas

Publicado em 24 janeiro 2014

Por Jéssica Moreira

O ensino de Literatura nas escolas, com base em períodos históricos, gera o desinteresse dos estudantes pela disciplina. Esse é uma das conclusões da pesquisadora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FE/USP), Gabriella Rodella de Oliveira, após analisar trabalhos acadêmicos de 1975 a 2004 e constatar que os problemas ligados ao ensino literário já dura mais de quatro décadas.

O estudo pode ser conferido no livro O Professor de Português e a Literatura, no qual Gabriella acrescentou também análise de estudos que envolvem professores de português que atuam no Ensino Médio da rede pública de São Paulo.

Para a pesquisadora, o cenário vai de encontro com a má formação dos professores, que não se reconhecem enquanto produtores de conhecimento e não têm autonomia para selecionar aquilo que deve ser estudado e debatido com os estudantes. A dependência de livros e programas voltados ao vestibular aparece como uma das consequências do problema da formação.

O livro descreve o perfil da maioria dos professores, a partir das pesquisas realizadas diretamente com os docentes. Segundo a autora, a maioria vem de família com baixa escolarização; pouco contato com a leitura na infância; integrante da primeira geração familiar a conquistar uma escolarização de longa duração (embora precária); ensino básico concluído na rede pública e superior, em instituição particular; salário baixo e longa jornada de trabalho; participação em formações continuadas muitas vezes ineficazes; leitor restrito a best-sellers e clássicos escolares.

As informações são da Agência Fapesp