Notícia

Agência C&T (MCTI)

Pesquisa alerta para risco de receitas caseiras no tratamento dos olhos

Publicado em 12 novembro 2007

Um levantamento feito no Hospital das Clínicas de São Paulo mostra que 40% dos pacientes com problemas nos olhos usaram fórmulas caseiras antes de procurar o médico — água com sal ou açúcar, flores e até leite materno. Segundo os especialistas, a automedicação com produtos caseiros é um hábito comum a todas as classes sociais e que traz muitos riscos à saúde da população.

Segundo a pesquisa, feita no pronto-socorro oftalmológico do HC, tentar solucionar o problema em casa ainda é um comportamento comum. O estudo revelou que quatro entre dez pacientes se automedicaram antes de procurar ajuda — e a maioria usou receitas caseiras.

O levantamento foi feito por profissionais da Universidade de São Paulo (USP), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapesp). Durante uma semana, 560 pacientes foram entrevistados.

Na lista de produtos usados nos olhos, além de água boricada e soro fisiológico, estão as mais diferentes misturas: água com açúcar, arruda, rosas e até leite materno.

A coordenadora do estudo, Regina Carvalho, ficou surpresa: ao contrário do que imaginava, a prática não é um hábito só das pessoas mais simples. "Nós tivemos pessoas de nível universitário que procuraram o pronto-socorro do Hospital das Clínicas depois de usar produtos caseiros", conta.

O motorista Anderson Milanski estava de moto e sem capacete, e seu olho esquerdo foi atingido por um inseto. "Eu pinguei um pingo de leite de campo. Passei uns colírios também, mas não era o adequado", conta. Quando ele chegou ao hospital, já era tarde: o jovem de apenas 20 anos perdeu a visão.

 "A pessoa fica esperando melhorar e demora para procurar socorro. Aí uma infecção ou inflamação pode estar mais avançada, e o desastre é muito maior para os olhos", explica o médico Newton Kara José.

Além das simpatias com produtos caseiros, outro risco sério é o uso de água boricada e soro fisiológico com prazo de validade vencido. As pessoas costumam guardar no armarinho do banheiro ou na geladeira, mas o correto seria usar e jogar fora.