Notícia

Portal Exame

Pesquisa abre portas ao tratamento de raquitismo hereditário

Publicado em 19 fevereiro 2013

Por Karina Toledo, da Agência FAPESP
São Paulo - Uma pesquisa realizada na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em colaboração com a Universidade McGill, no Canadá, deve abrir caminho para o tratamento da forma mais comum de raquitismo hereditário – a hipofosfatemia ligada ao cromossomo X (XLH na sigla em inglês). A doença genética causa a perda descontrolada de fosfato pela urina, o que leva a problemas na mineralização dos ossos, osteomalacia (amolecimento dos ossos), deformação do esqueleto e pode resultar em baixa estatura, abscessos dentários [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.