Notícia

Informe MS

Pernambuco produzirá radiofármacos

Publicado em 17 junho 2008

Até o fim do ano, o Centro Regional de Ciências Nucleares do Nordeste (CRCN), por meio da Unidade de Produção e Pesquisa de Radiofármacos (Upra), inicia a fabricação da substância FDG, que é utilizada em tomografia por emissão de pósitrons (PET). O uso da substância e do procedimento permite o diagnóstico e tratamento de doenças como o câncer e mal de Alzheimer.

Segundo o Ministério da Ciência e Tecnologia, Pernambuco será o primeiro estado do Nordeste a receber uma unidade de produção de FDG. Hoje, os equipamentos que utilizam a técnica são encontrados apenas em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O anúncio da instalação da Upra foi feito na sexta-feira (13/06), pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, e pelo governador do estado, Eduardo Campos. Eles participaram da cerimônia de abertura do seminário Implantação da Tomografia por Emissão de Pósitrons no Nordeste, que teve a presença de representantes da área médica da região.

No seminário, vários aspectos foram abordados para mostrar a médicos e profissionais de saúde a importância da produção de radiofármacos e a relação custo-benefício. De acordo com especialistas, o uso da FDG evita procedimentos clínicos desnecessários, cirurgias invasivas e dispêndios com exames que não são tão precisos quanto aquele realizado pelos tomógrafos PETs.

A Upra de Pernambuco está em construção nas dependências do CRCN-NE, órgão da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Estão sendo investidos R$ 15 milhões no projeto, e a previsão é que a unidade inicie a fabricação em novembro.

A estimativa é atender, a longo prazo, a uma demanda superior de 20 tomógrafos – o que poderá alcançar 52 mil procedimentos PET ao ano na região. Até março de 2009, a produção da Upra deverá atingir a capacidade de produção em escala comercial dos radiofármacos para atender aos PETs.

(Agência Fapesp)