Notícia

A Crítica (AM) online

Peixe peçonhento tem molécula com ação potencial contra esclerose

Publicado em 04 outubro 2016

Por Peter Moon, da Agência FAPESP
Quando se pensa em um peixe venenoso é comum lembrar da imagem de um baiacu inflado como um balão. No baiacu – designação popular de diversos peixes da ordem dos Tetraodontiformes –, o veneno está na carne. Comer a carne não tratada para a retirada da toxina pode levar à morte. O baiacu é venenoso, mas não é peçonhento: não tem presas nem espinhos para injetar toxina em suas vítimas e, desse modo, imobilizá-las. O niquim (Thalassophryne nattereri), habitante de águas rasas, tem tudo isso. O niquim vive na zona de [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.