Notícia

Jornal de Jundiaí

Pedro Bigardi lança projeto igual ao de ONG para a Serra

Publicado em 21 agosto 2009

A preservação da Serra do Japi, considerada o maior patrimônio natural da Região de Jundiaí, entrou de vez no discurso de entidades e agentes políticos.

Com propostas semelhantes, o Instituto Serra do Japi e o deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB) pretendem obter o apoio do governo estadual para ampliar as ações de proteção à Serra.

Em entrevista ao Jornal de Jundiaí Regional, Sinésio Scarabello Filho, presidente da ONG (Organização Não-Governamental) Instituto Serra do Japi, disse que a entidade pretende transformar a Serra em um parque estadual, projeto já em andamento.

"Já solicitamos audiência com o secretário estadual do Meio Ambiente, Xico Graziano, para que o Estado assuma o levantamento e desenvolva os estudos das potencialidades da Serra do Japi", disse Scarabello, que também é secretário municipal de Obras da Prefeitura de Jundiaí.

"Hoje, a Serra do Japi é uma unidade de conservação de uso sustentável e queremos que ela se torne uma unidade de proteção integral", diz o presidente do Instituto Serra do Japi.

Segundo Scarabello, nestas áreas existem reservas biológicas que precisam ser preservadas por leis e também precisam receber recursos para que a preservação seja contínua.

De acordo com ele, o Programa de Pesquisas em Caracterização, Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade do Estado de São Paulo, denominado Biota, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), indicou que a Serra foi o único local que recebeu a votação de 800 pesquisadores para que fosse transformada em unidade de conservação.

Objetivo comum

Na mesma linha da proposta do Instituto Serra do Japi, o deputado estadual Pedro Bigardi protocolou, no início da semana, projeto de lei na Assembleia que prevê a criação do Parque Estadual da Serra do Japi. "Tive conhecimento do projeto do Instituto Serra do Japi; não são ideias conflitantes. Dá para caminhar junto", afirmou Bigardi, que reuniu a imprensa de Jundiaí, ontem, para apresentar o projeto de lei.

A proposta prevê normas para utilização da Serra para fins educacionais, científicos, recreativos e de turismo ecológico, além de conceder a administração do parque para a Fundação Instituto Florestal, órgão vinculado à Secretaria do Estado do Meio Ambiente.

O projeto prevê, ainda, a celebração de convênios entre o Instituto Florestal e os municípios abrangidos pela Serra do Japi - Jundiaí, Cabreúva, Cajamar e Pirapora do Bom Jesus - individualmente ou por meio de consórcios.

De acordo com o deputado, o objetivo é discutir a proposta junto com a sociedade civil, prefeituras da região e governo estadual em reuniões, assembleias e audiências públicas que serão realizadas até o final deste ano. "O projeto protocolado contém o foco central, mas o trâmite da Assembleia permite que seja alterado até sua versão final, que pretendo apresentar para votação no início de 2010", esclareceu Bigardi.

Em junho, os prefeitos dos quatro municípios que compõem a Serra do Japi já tinham assinado uma carta de intenções do Consórcio Intermunicipal para a Preservação da Serra do Japi.