Notícia

Diário do Sudoeste (Pato Branco, PR) online

PB conquista medalhas na Olimpíada Brasileira de Astronomia

Publicado em 03 dezembro 2015

Por Cristiane Sabadin Tomasi

Jovens sim, mas com histórico escolar que vale ouro, prata e bronze. É assim que estudantes do ensino médio integrado da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), campus de Pato Branco, foram reconhecidos na manhã dessa quarta-feira (3).

Numa cerimônia reservada, com a presença de professores, colegas e da chefe do Departamento de Física e coordenadora do Geastro (Grupo de Estudo, Pesquisa, Extensão e Inovação em Astronomia) da UTFPR, Tina Andreolla, os estudantes receberam as medalhas pela participação na 18ª edição da OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia), realizada anualmente pela SAB (Sociedade Astronômica Brasileira) e AEB (Agência Espacial Brasileira) e Eletrobras Furnas.

Aliás, quando o assunto é olimpíada de conhecimentos, a universidade marca presença. “Temos tradição na OBA, até porque mantemos o grupo de astronomia, o Geastro, que funciona na universidade. A equipe trabalha com todas as escolas do município, levando atividades de astronomia e realizando cursos”, disse a coordenadora.

Além do estudo diário, de praxe para estudantes do ensino médio, houve esforço dobrado. Os participantes contaram com horas de um curso preparatório, com direito a certificado, ministrado por monitores do Geastro.

Após tanta preparação chegou a hora da prova. Em 2015, a avalição aconteceu no dia 15 de maio. Segundo informações da organização, neste ano, 16.575 escolas de ensino fundamental e médio foram cadastradas; número recorde. O total de participantes chegou a um milhão.

Medalhistas da UTFPR

Ao todo, a UTFPR conquistou 11 medalhas: duas de ouro com os alunos Leo Vitor Peron e Emerson Iurckevicz; cinco de prata com Ana Maria Paludo, Diogo Felini Tondo, Isabela Dalmolin dos Santos, Gustavo Acco Sendeske e Vitor Verona Ceni; e quatro de bronze com os estudantes Eduardo Jackoski Miglioranza, Lesly Daiana Barbosa Sobrado, Mateus Gruntowski Mendes e Gabriel Marcarini Simionato. Os alunos representam as turmas do 1º, 3º e 4º ano, com médias que variaram entre 8,75 e 6,5.

Fortalecer o conhecimento

A motivação para desafios ainda maiores é o grande objetivo das olimpíadas. Por isso, é importante que haja adesão das escolas e dos estudantes. É uma corrente de aprendizado e experiência, e nesta área a UTFPR tem obtido bons resultados. “Na participação em 2014 tivemos, inclusive, um aluno que ficou entre os 50 melhores do Brasil. Ele foi para São José dos Campos em um evento grande e isso motivou muito os demais”, comentou Tina.

Em notícia divulgada na Agência Fapesp, o astrônomo João Canalle, coordenador da OBA, afirmou que a olimpíada tem como missão debater e compartilhar práticas pedagógicas, além de divulgar o valor dessa ciência em âmbito regional. “Queremos levar a maior quantidade de informações sobre as ciências espaciais para a sala de aula, despertando o interesse nos jovens”.

A direção da UTFPR reconhece o trabalho dos estudantes e professores, e nas palavras do professor Henrique, presente na cerimônia, enfatizou que a partir de agora os medalhistas são referências. “Já tivemos a Olimpíada de Física, o reconhecimento do pessoal da Engenharia Mecânica, que recebeu premiação internacional, entre outras conquistas. São coisas que demostram a gama de atividades que são desenvolvidas no campus. Muitas vezes buscamos referência de fora, sendo que aqui temos várias menções que devem ser seguidas. E que trazem a responsabilidade para vocês, que neste momento também são referência.”

O professor ressaltou ainda que os alunos do ensino médio têm um grande caminho pela frente, e o que a qualificação profissional começa com excelentes resultados. Mas dá o alerta sobre o peso da premiação: “Tem o bônus, que é reconhecimento, mas o ônus de ser referência. Agora, tudo aquilo que vocês fizerem daqui pra frente, estará sendo observado. E esperamos que sejam sempre boas referências”.

Mais escolas premiadas

Além dos estudantes do ensino médio da UTFPR, outras dez escolas municipais de Pato Branco foram premiadas. Ao todo, em 2015, 118 alunos foram medalhistas, e a escola com maior número de medalhas foi a São João Batista de La Salle, com 42. Mas na lista constam ainda as escolas e os respectivos professores orientadores: Escola Municipal União (professora Jaquelina Colla), Vila Verde (Marina Reis dos Santos), São João Batista de La Salle (Márcia Regina Bueno), Gênesis (Laila Polo), São Cristóvão (Marieli Galvan Bocchese Cenci), Santos Dumont (Clair Preisler Andria), José Fraron (Edriane dos Santos Chaves), Bairro Planalto- Caic (Silvia dos Santos), Rocha Pombo (Clarinda Cardoso) e Escola Municipal Juvenal Cardoso (Elizana Dutra).