Notícia

JC e-mail

Paulo Vanzolini recebe Prêmio Professor Emérito

Publicado em 05 outubro 2004

O 'Estado de SP' e o Ciee concedem Troféu Guerreiro da Educação ao pesquisador O pesquisador e compositor Paulo Vanzolini receberá o Prêmio Professor Emérito 2004 - Troféu Guerreiro da Educação, uma promoção conjunta do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee) e do Estado. A cerimônia de entrega da premiação será realizada nesta sexta-feira, às 8h30, no auditório de 'O Estado de SP'. Ao receber o troféu, Vanzolini entrará para uma galeria que inclui a ex-primeira-dama e antropóloga Ruth Cardoso, o jurista Miguel Reale, a ex-ministra da Educação Esther de Figueiredo Ferraz, o médico Luiz Décourt, o economista José Pastore, o engenheiro António Hélio Guerra Vieira e o sociólogo e crítico literário António Cândido. Todos agraciados desde 1997 com o prêmio, que tem como objetivo homenagear personalidades que se destacaram na área educacional. 'O prêmio é muito importante porque, para mim, é um reconhecimento de colegas. E esse é o único reconhecimento que realmente vale a pena', afirmou Vanzolini sobre a homenagem. Formado em medicina, mas com uma carreira marcada pelo trabalho na área de zoologia, Vanzolini foi um dos primeiros diretores do Museu de Zoologia da USP. Foi o responsável pela formação das grandes coleções da instituição, viajando pelos rios brasileiros para coletar espécies. Reconhecido pela comunidade científica como um dos grandes pesquisadores do País, foi o autor da lei que instituiu a Fundação de Amparo à Pesquisa de SP (Fapesp). Atualmente aposentado do museu, o pesquisador continua preparando publicações científicas na área de zoologia. Paralelamente à carreira acadêmica, Vanzolini compôs diversas músicas que foram gravadas por cantores como Maria Bethânia e Chico Buarque. Em seu pronunciamento hoje, o pesquisador disse que fará uma crítica aos governos brasileiros e à atual estrutura da pós-graduação nas universidades do país. 'Farei críticas ao governo do ex-presidente FHC e do presidente Lula, pela atuação deles nas áreas de educação e ciência', disse. Sobre os rumos da pós-graduação, Vanzolini acredita que ela 'mudou de caráter'. 'Antes era uma preparação para pesquisadores. Hoje é para o trabalho.' (O Estado de SP, 15/10) JC e-mail 2627, de 15 de Outubro de 2004.