Notícia

O Povo online

Paulo Vanzolini morre aos 89 anos

Publicado em 29 abril 2013

O compositor Paulo Vanzolini faleceu no último domingo, 28, aos 89 anos, vítima de complicações decorrentes de uma pneumonia. Paulo estava internado desde a noite da última quinta, 25, - dia do seu aniversário - na UTI do hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O compositor deixou a mulher, a cantora Ana Bernardo, e cinco filhos do primeiro casamento.

Segundo o site UOL, o velório será reservado apenas a familiares e amigos, na manhã desta segunda-feira, 29, no Albert Einstein. O enterro deve ocorrer durante a tarde, no Cemitério da Consolação, na capital paulista.

Perfil Paulo Vanzolini

Autor de “Quando Eu For Eu Vou Sem Pena”, música gravada por Chico Buarque em 1997, Paulo Vanzolini escreveu na canção: “Quando eu for, eu vou sem pena. Pena vai ter quem ficar”. Para o samba brasileiro e para a zoologia nacional, o sentimento da manhã de hoje é mesmo de pena e saudade. Aos 89 anos, Vanzolini morreu na noite de ontem deixando um legado nas artes e na ciência.

Crescido na boemia do samba paulista, Paulo Vanzolini foi autor de sambas conhecidos nacionalmente, como “Volta por Cima”, que tem o famoso trecho “Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”. Ele escreveu também músicas, como “Na Boca da Noite”, “Praça Clóvis”, “Alberto”, “Ronda”, “Capoeira do Arnaldo”, além de mais de outras 70 canções.

Como zoólogo, Vanzolini foi um dos idealizadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e colaborador do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. O estudioso foi ainda agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico e premiado pela Fundação Guggenheim de Nova Iorque, em virtude de suas contribuições para o progresso da ciência. Paulo foi também agraciado com táxons nomeados em sua homenagem, como a espécie de anfíbio que recebeu o nome Dendrobates vanzolinii.

O sambista e zoólogo também escreveu mais de 150 artigos acadêmicos, além do livro de poemas Lira e da obra Tempos de Cabo, com histórias de quando ele serviu no Exército. Paulo também participou de três documentários ao lado do diretor Ricardo Dias. Os dois primeiros mais voltados para o lado zoólogo, com foco na vida acadêmica, e o terceiro, Um Homem de Moral (2009), com um foco maior para a veia musical de Vanzolini.

No mês passado, Vanzolini foi um dos 87 artistas a se apresentar em evento do Teatro Oficina para arrecadar fundos para reformar e ampliar a Casa de Francisca, pequena casa de shows paulistana. Também em março, recebeu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) pelo conjunto da obra.

Redação O Povo Online