Notícia

Jornal Vicentino online

Paulo Alexandre Barbosa assume Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico

Publicado em 28 abril 2011

O deputado estadual Paulo Alexandre Barbosa foi anunciado oficialmente nesta terça-feira, dia 26, pelo governador Geraldo Alckmin como o novo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico. Ele deixa o Desenvolvimento Social, que comandou por quase cinco meses, para substituir o vice-governador Guilherme Afif Domingos na titularidade da secretaria. Na gestão de ex-governador José Serra (2007 a 2010), a pasta foi ocupada pelo próprio Alckmin e pelo ex-governador Alberto Goldman.

Terceiro maior orçamento do Governo do Estado com cerca de R$ 10,4 bilhões, o Desenvolvimento Econômico tem uma das maiores estruturas administrativas, incluindo o Centro Paula Souza, fundação estadual responsável pelo gerenciamento das Escolas Técnicas (Etecs) e Faculdades de Tecnologia (Fatecs). Também estão subordinadas a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapesp), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), além da USP, Unicamp e Unesp, e as Faculdades de Medicina de Marília e de São José do Rio Preto.

O novo secretário será ainda responsável pelo Investe São Paulo (Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade) e pela Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp). O Via Rápida - programa lançado pelo governador e que prevê abertura de unidades para capacitação profissional em cursos de curta duração - está vinculado ao Desenvolvimento Econômico.

"Sinto-me muito honrado pelo convite feito pelo governador, que me designou esse novo desafio, que é ampliar ainda mais a capacitação profissional no Estado de São Paulo. O nosso foco será garantir mão-de-obra qualificada do trabalhador paulista, principalmente nos segmentos sociais mais vulneráveis. São Paulo precisa estar preparado e deve vdar o exemplo para atender as necessidades do país, que cada vez mais demandará profissionais qualificados", disse Paulo Alexandre.

Nova liderança

Após uma rápida trajetória política, marcada por grandes votações eleitorais e atuações de destaque nas áreas educacional e social, Paulo Alexandre é considerado hoje uma das promissoras lideranças tucanas no Estado. Nascido em 9 de janeiro de 1979, disputou a primeira eleição em 2006, quando foi eleito deputado estadual com 182.654 votos. Quatro anos depois se reelegeu com 215.061 votos, a 2ª maior votação do Estado.

A história política do novo secretário começou em 2001 ao aceitar o convite do seu professor de faculdade, o atual deputado federal Gabriel Chalita, para assessorá-lo na então Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer. Na época, tinha apenas 22 anos e acabara de deixar a presidência do Diretório Acadêmico da Faculdade de Direito da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes).

Em 2004, o governador Geraldo Alckmin nomeou-o como secretário-adjunto do Estado da Educação, com a incumbência de ajudar no gerenciamento de 6 mil escolas, 6 milhões de alunos, 300 mil funcionários e um orçamento anual de R$ 15 bilhões. Foi o mais jovem a comandar, interinamente, a Secretaria de Estado da Educação, aos 24 anos.

No período em que permaneceu na Educação, implantou e coordenou o Escola da Família, programa premiado pela ONU que abriu todas as escolas estaduais aos finais de semana para comunidade, garantindo mais de 50 mil bolsas integrais e gratuitas a universitários carentes. Instituiu os programas de Formação Universitária e Bolsa Mestrado para professores. Durante a sua gestão, preencheu mais de 30 mil vagas por concurso público e manteve um bom diálogo com as entidades de que representam os professores e diretores de escola. No período, não houve registro de greve.

Com o deputado estadual apresentou, em 2007, projeto de lei que institui o Programa de Combate ao Bullying nas Escolas. Aprovada por unanimidade, a matéria foi vetada pelo ex-governador José Serra. É o autor da Lei Estadual 13.576/09, que regulamentou normas e procedimentos para a reciclagem, gerenciamento e destinação final do lixo tecnológico. Na Assembleia foi o parlamentar que mais destinou recursos de emendas orçamentárias a entidades do terceiro setor.

Novos projetos

Com o compromisso de transformar a área social em uma das principais bandeiras do Governo Geraldo Alckmin, Paulo Alexandre assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS) em 1º de janeiro deste ano. Uma das suas primeiras medidas foi reestruturar os programas Bom Prato e Viva Leite, transferidos por Alckmin para a secretaria. Nos restaurantes populares que fornecem almoço ao preço de R$ 1 e nos postos de distribuição de leite para crianças e idosos, mais de 1 milhão de pessoas são atendidas todos os meses.

Em cinco meses, o secretário ampliou em 166% o número de vagas dos programas de transferência de renda Ação Jovem: de 76 mil para 200 mil bolsas para jovens de 15 a 24. Eles recebem um auxílio mensal de R$ 80 durante o período que permanecem na escola para a conclusão dos estudos. No Renda Cidadã - programa que também garante bolsa de R$ 80 para famílias em situação de vulnerabilidade social e renda per capita de meio salário mínimo - o aumento foi de 30%, saindo de 135 mil para 200 mil benefícios.

Para os próximos dias, Paulo Alexandre planejava apresentar o Mapa da Ação Social, que reúne informações georreferenciadas e indicadores sociais dos 645 municípios paulistas. O mapa ficará disponível pela internet e terá por finalidade direcionar as políticas e os investimentos públicos no setor, priorizando as áreas mais vulneráveis apontadas no diagnóstico. A iniciativa visa ainda democratizar a informação e facilitar o controle social

Nova pasta

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia tem como objetivo promover o crescimento econômico sustentável, aprimorar os ensinos superior, técnico e de graduação tecnológica e estimular a inovação no Estado de São Paulo. Suas políticas públicas são voltadas, prioritariamente, à geração de emprego e renda e ao aumento do empreendedorismo e da competitividade do setor produtivo.

Um dos seus principais eixos de atuação são a atração de novos investimentos nacionais e internacionais para o Estado; as ações em ciência, tecnologia e inovação; a implantação de parques tecnológicos; e as iniciativas de fomento a Arranjos Produtivos Locais (APLs). A pasta busca fomentar a instalação de incubadoras de empresas e abrir espaços empresariais; além de promover projetos nos setores de bioenergia, petróleo e gás natural.