Notícia

Por dentro de tudo

Partículas do novo coronavírus são identificadas na retina de vítimas da Covid

Publicado em 21 agosto 2021

Partículas do vírus Sars-CoV-2 foram identificadas na retina de pacientes que morreram por causa de complicações da Covid-19. Os resultados da pesquisa, realizada por cientistas das universidades federais de São Paulo (Unifesp) e do Rio de Janeiro (UFRJ), foram publicados no portal JAMA Ophthalmology. As informações são da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

Os pesquisadores removeram o globo ocular dos pacientes e analisaram o tecido da retina.“As proteínas do vírus foram observadas nas células que revestem os vasos sanguíneos, próximo à chama capilar e às células das camadas nucleares interna e externa da retina. Na região perinuclear dessas células, foi possível observar, por microscopia eletrônica de transmissão, vacúolos de membrana dupla consistentes com o vírus”, disse Rubens Belfort Júnior, professor da Escola Paulista de Medicina da Unifesp e coordenador da investigação.

A presença das partículas virais ressalta a possibilidade de manifestações clínicas oculares da infecção e alerta para a possibilidade de o vírus estar diretamente relacionado a alterações em diversas partes do corpo, inclusive neurológicas, defendem os pesquisadores. Eles também levantam a possibilidade de os tecidos oculares constituírem santuários de persistência viral.

“Agora, está claro que, após a infecção inicial no sistema respiratório, o vírus pode se espalhar por todo o corpo, atingindo diferentes tecidos e órgãos. Assim, as descobertas podem ajudar a elucidar a fisiopatologia do vírus e seus mecanismos etiológicos, o que pode permitir melhor entendimento das sequelas da doença e direcionar alguns caminhos de pesquisas futuras”, disse Júnior.