Notícia

Bragança Jornal Diário online

Parlamentar propõe moção de aplauso para biólogo que estuda produção de biocombustível a partir da macaúba

Publicado em 29 maio 2010

Atento às questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável e, ainda, às iniciativas que prezem pela diversidade da matriz energética do país, o deputado estadual Edmir Chedid apresentou à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo moção de aplauso à iniciativa do biólogo Luiz Henrique Chorfi Berton, de Serra Negra. Ele está realizando uma pesquisa científica com a intenção de encontrar subsídios para a produção de biocombustível a partir da palmeira de macaúba.

A moção de aplauso, que é uma manifestação da Assembleia Legislativa no sentido de aplaudir, apoiar ou solicitar determinada medida, também é extensiva ao IAC (Instituto Agronômico de Campinas) e à FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). "Neste caso em específico, o objetivo é apoiar a iniciativa do biólogo Luiz Henrique Chorfi Berton e, principalmente, estimular propostas idênticas entre os acadêmicos e técnicos da área", argumentou o parlamentar.

O deputado estadual Edmir Chedid afirmou que, embora o país ostente uma matriz energética diversificada e com enorme potencial - principalmente a partir das expectativas em relação à descoberta de petróleo nas camadas do pré-sal -, é essencial apoiar as instituições públicas e a iniciativa privada engajadas em pesquisas de fontes de energia renováveis. A descoberta e exploração dessas fontes de energia proporcionam maior potencial industrial e estabilidade econômica.

Na moção, o parlamentar destacou a iniciativa do biólogo, apoios institucionais e alguns dados técnicos e estatísticos sobre as vantagens do combustível produzido a partir da palmeira de macaúba. "Entre essas vantagens, destaco a redução em 50% na emissão de poluentes e de 72% na emissão de CO², no caso de substituição dos combustíveis derivados de petróleo. Importante ressaltar a capacidade de produção, a longa vida da planta da macaúba (50 anos) e sua resistência climática", disse.

A macaúba é uma planta tipicamente tropical, que apresenta grupamentos importantes no Brasil, considerada a palmeira de maior dispersão no país, destacando os Estados do Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Entre as inúmeras vantagens da utilização da palmeira de macaúba, está a capacidade de produção, estimando-se que por hectare/ano uma plantação de macaúba pode produzir 4 mil litros de óleo.

Para Edmir Chedid, o progresso está diretamente relacionado ao domínio de tecnologia em áreas estratégicas, sendo a diversidade da matriz energética, no contexto geopolítico, talvez a mais relevante. "A soja, por exemplo, produz 420 litros, o girassol 890 litros e a mamona 1,3 mil litros de óleo por hectare/ano. Além disso, o ciclo da cultura é longo, ao passo que o ciclo da soja é de apenas um ano. Outra vantagem da macaúba é que ela é muito resistente a climas desfavoráveis", concluiu.