Notícia

Nas Notícias

Parceria: UNESCO e Universidade de Granada, Espanha, sinalizam acordo de cooperação

Publicado em 16 novembro 2021

O Brasil, por meio da Universidade Estadual paulista (Unesp), ampliará sua participação no projeto Atlas of Science, desenvolvido por meio de cinco universidades espanholas, coordenado pelo professor Félix de Moya Anegón, que reúne conhecimentos sobre artigos indexados em periódicos clínicos em nove países: Argentina, Chile, Venezuela, Colômbia, Cuba, México, Portugal, Espanha e Brasil, este é um dos principais eixos do acordo firmado entre o reitor da Unesp, Marcos Macari, e o próprio Anegon, vice-reitor da Universidade. de Granada, Espanha.

“O Atlas fornece cartazes para avaliar a ciência global em outros espaços do conhecimento. Isso tem sido essencial para ampliar a visibilidade externa da produção clínica brasileira”, disse João Augusto Guimarães, coordenador da participação brasileira no Atlas da Ciência e professor do Departamento de Ciências da Informação da Unesp à Agência FAPESP.

O Atlas fornece uma série de gráficos sobre o procedimento de disseminação clínica nesses países, através do volume de artigos publicados. Agora, segundo Guimarães, uma equipe de pesquisadores está sendo montada para vir com pôsteres de mestrado e doutorado produzidos em São Paulo. 3 universidades públicas, a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Unesp.

“O objetivo é fazer do Atlas um veículo de estudos que produz rótulos para agências de investimento, no que diz respeito aos estudos de aplicações de investimento para teses e dissertações”, explica Guimarães, chamando a atenção para a natureza escolar do Atlas Científico. A atribuição não tem porte de marketing e também pode ser a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) na avaliação dos programas de ensino superior brasileiros.

“Nossos ‘produtos’ serão números e estatísticas sobre teses e dissertações, livros, artigos e a formação de novos grupos de estudo”, explica Guimarães. O acesso aos dados na página online do Atlas da Ciência é frouxo e aberto ao público.

Promover o intercâmbio de professores e acadêmicos de pós-graduação e vender a progressão de projetos de estudo conjunto no quadro de geração de dados são outros objetivos do acordo entre brasileiros e espanhóis.

Mais informações: www.atlasofscience.net.

Navegação de Post