Notícia

Gazeta Mercantil

Parceria resulta em mais tecnologia

Publicado em 10 agosto 2001

Por Iara Gomes - igomes@gazetamercantil.com.br de São José dos Campos
O chefe da subdivisão de aerodinâmica do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), major Olympio Achilles de Faria Mello Mello, diz que, para o CTA, os principais benefícios da parceria envolvendo Fapesp, Embraer e duas universidades paulistas serão a aquisição de novos e modernos equipamentos, a oportunidade que se abre para o desenvolvimento de novas tecnologias tanto para uso militar como civil, além do aprimoramento da tecnologia empregada em testes aerodinâmicos. A revitalização do túnel subsônico do IAE deverá reduzir em 30% o tempo dedicado aos testes. "Calculamos que, com três mil horas, obteremos o mesmo número de resultados", afirma. A redução do tempo gasto com esse tipo de teste é fundamental para a redução no ciclo de desenvolvimento de aeronaves e, em conseqüência, vital para a competitividade da indústria aeronáutica, na avaliação de Mello. Um exemplo disso são os novos jatos da família ERJ-170/190, para 70, 98 e 108 passageiros, da Embraer. Enquanto o desenvolvimento do ERJ-145, de 50 lugares, foi feito em cinco anos, os novos aviões estarão prontos em três anos. Um outro resultado prático da modernização do túnel de vento será a obtenção de resultados mais confiáveis, sobretudo na avaliação de projetos aerodinâmicos das asas dos aviões, que exigem uma técnica mais específica. O processo de modernização do túnel prevê a instalação de uma nova hélice e de novos sistemas de controle de motor. O projeto todo deverá estar concluído em três anos.