Notícia

Gestão C&T

Parceria Público-Privada é firmada entre Fapesp, Oxiteno e BNDES

Publicado em 26 novembro 2006

A união entre fundações de amparo à pesquisa e empresas é uma reivindicação antiga de empresários interessados em investir em P&D. Uma iniciativa nesse sentido surgiu de uma parceria firmada entre a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) e a Oxiteno, indústria da área de química.
O convênio foi assinado no dia 16 deste mês para projetos voltados ao desenvolvimento de tecnologia para produção de açúcares, álcool e derivados. Os recursos são da ordem de R$ 6 milhões, sendo R$ 1,5 milhão da Fapesp, o mesmo valor do BNDES e R$ 3 milhões da Oxiteno.
No âmbito do convênio, a Fapesp lançou o edital Fapesp-Oxiteno que tem como objetivo especificar as condições para apresentação de propostas de projetos de pesquisa que gerem conhecimentos sobre novas técnicas, metodologias, processos e tecnologias, de interesse da Fundação e da empresa. As propostas podem ser remetidas até o dia 5 de janeiro de 2007.
Segundo a assessoria da Fapesp, os projetos serão vinculados ao programa Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (Pite) e seguirão os mesmos critérios de avaliação e desenvolvimento. Além disso, a fundação informou que tem tratado essa chamada como um esforço para aproximar a empresa da comunidade científica, resultando em projetos inovadores e com aplicação comercial.
Já assessoria da Oxiteno informou que as pesquisas não serão exatamente desenvolvidas para a empresa, mas no interesse mútuo de promover o avanço do conhecimento e desenvolver inovações tecnológicas nas áreas abrangidas pelo convênio. Não há limite de solicitação de recursos para as propostas, mas, de acordo com informações da Oxiteno, os projetos receberão investimentos significativos para investigação de tecnologias que aumentarão a competitividade internacional do país na produção de etanol.