Notícia

ABM Brasil - Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração

Parceria para plástico verde

Publicado em 08 setembro 2010

A Braskem assinou no dia 1º parceria com o Laboratório Nacional de Biociências LNBio, em Campinas SP, para instalação de um laboratório a ser utilizado pela equipe de pesquisadores da empresa.

Nas novas instalações serão realizadas pesquisas na área de biotecnologia para o desenvolvimento de um plástico utilizando rota química que será, ao mesmo tempo, economicamente competitivo e sustentável, utilizando matérias-primas de fontes renováveis.

A equipe da Braskem também terá acesso aos avançados equipamentos de pesquisa do LNBio. A cooperação científica entre Braskem e LNBio se dará por meio de consultorias e também cooperação técnica, com compartilhamento da propriedade intelectual nos casos pertinentes, explicou Kleber Franchini, diretor do Laboratório Nacional de Biociência.

A parceria com o LNBio prevê a utilização de uma área inicial de 50 m² que será expandida para 200 m² no início de 2011, e envolverá no curto prazo cerca de 40 pesquisadores da Braskem.

A empresa já tem convênio de cooperação com a Fapesp e com a Universidade Estadual de Campinas Unicamp.

O LNBio atua em pesquisa na área de biotecnologia, inclusive em outros projetos com indústrias de cosméticos e farmacêuticas, para a descoberta e desenvolvimento de produtos inovadores. É um conjunto de instalações abertas multiusuário, que está à disposição da comunidade científica e tecnológica, quer seja acadêmica ou empresarial.

O laboratório integra o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais, que compreende ainda os Laboratórios Nacionais de Luz Síncrotron LNLS e de Ciência e Tecnologia do Bioetanol CTBE e é gerido pela Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron.

A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. Com 29 plantas industriais distribuídas pelo Brasil e Estados Unidos, a empresa produz anualmente mais de 15 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos.

Fonte: Agência Fapesp