Notícia

Nicomex Notícias

Parceria entre ETH e FAPESP

Publicado em 31 janeiro 2011

As vantagens competitivas do Brasil na produção de etanol e energia termelétrica limpa e renovável ficaram demonstradas e consolidadas recentemente nos fóruns econômicos mundiais. Além da segunda vertente, a produção de açúcar é estratégica em função de o país ser o maior produtor e exportador mundial, devendo consolidar sua posição e ingressar em novos mercados em nações que ainda produzem mediante concessões de elevados subsídios agrícolas. Acompanhando o mercado em ascensão, algumas empresas estão também buscando iniciativas para a realização em energia limpa.

A ETH Bioenergia, braço do grupo Odebrecth deve investir R$ 10 milhões para a produção e comercialização de etanol, energia elétrica e açúcar com a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), nos próximos cinco anos, para a realização de pesquisas em bioenergia. A iniciativa, com previsão de início ainda no primeiro semestre, inclui apoio à alunos e professores das universidades conveniadas à Fapesp. Essa parceria é a primeira entre usina e universidades em assuntos agrícolas com foco em energia limpa.

De acordo com o presidente da Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras), Carlos Calmanovici, em entrevista à Folha de SP, a missão do grupo é pensar e pesquisar como estará o setor nos próximos anos e estudar as tecnologias para suportar esse crescimento. A aproximação faz parte das iniciativas do novo grupo de inovação da ETH, que foi criado no ano passado. Entre outros acordos firmados pela empresa, a ETH já conduziu projetos com a Universidade Federal de São Carlos e duas iniciativas com a Unicamp para mapeamento de leveduras (componentes que fazem parte da fermentação do álcool).

Criada em 2007, a ETH mantém sete unidades cogeradoras de energia elétrica por meio do processamento do bagaço da cana. Até o ano que vem a empresa pretende aumentar a capacidade de suas usinas e construir outras duas unidades. A companhia deve investir R$7,3 bilhões para chegar à capacidade máxima de produção, gerando 3 bilhões de litros de etanol e 2.700 gigawatts-hora (GWh) de energia elétrica - o suficiente para abastecer as residências do Ceará.

Açúcar e Etanol

Segundo os dados da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açucar), nos últimos 15 dias de dezembro, a produção de açúcar atingiu 67,4 mil toneladas, somando 33,4 milhões desde o início da safra, em abril até 31 de dezembro. A quantidade acumulada é 18,22% maior em relação ao mesmo período de 2009, e 16,8% superior ao total produzido na safra 2009/2010. Em relação ao à produção de etanol, foram 142,4 milhões de litros na segunda quinzena de dezembro, sendo 53,24 milhões de litros de etanol anidro e 89,23 milhões de litros de etanol hidratado.

Nicomex Notícias

nicomex@nicomex.com.br