Notícia

Gazeta Mercantil

Parceria abre novas perspectivas de pesquisa a universidades paulistas

Publicado em 10 agosto 2001

Por Iara Gomes - igomes@gazetamercantil.com.br de São José dos Campos
A modernização do túnel de vento do Centro Técnico Aeroespacial (CTA), que hoje é utilizado principalmente pela Embraer, beneficiará diretamente duas universidades de ponta do País. Uma delas é o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) que ganhará um novo túnel, orçado em R$ 250 mil, e que deverá estar operacional dentro de um ano. Os recursos fazem parte de um orçamento total de US$ 3,5 milhões. A Universidade de São Paulo (USP), em São Carlos, também integra a parceria. Os túneis de vento simulam os efeitos do ar sobre aeronaves em movimento. A cada etapa de desenvolvimento é feita uma seqüência nova de ensaios e, em média, um projeto novo de avião exige cerca de quatro mil horas de testes em túnel de vento. "Essa é uma média histórica, mas, com os avanços tecnológicos, esse tempo vem caindo", afirma o chefe da subdivisão de aerodinâmica do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), major Olympio Achilles de Faria Mello Mello. É este, aliás, um dos objetivos da modernização do túnel subsônico do IAE, que opera com velocidade de 500 quilômetros por hora, o que equivale a 30% da velocidade do som. O ITA e a USP de São Carlos darão suporte ao IAE no desenvolvimento de novas tecnologias para aprimorar sobretudo os testes de aerodinâmica das asas. Os experimentos preliminares serão feitos nos túneis das universidades e praticamente só as fases que exigem um túnel de maior porte serão desenvolvidas no IAE, segundo Mello. A Embraer arcará com metade dos US$ 3,5 milhões que serão aplicados na modernização do túnel e a outra metade será financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), no âmbito do Programa de inovação Tecnológica em Ciência e Tecnologia Aeroespaciais, lançado no ano passado. O novo túnel do ITA começa a ser montado por equipes do próprio IAE assim que os recursos forem liberados. "O projeto já foi aprovado pela Fapesp e os recursos deverão ser liberados em breve", diz Mello. Será o terceiro e também o mais moderno túnel de vento do ITA. Apesar de ser um túnel de pequeno porte e que, portanto, opera em velocidades abaixo de 500 quilômetros por hora, poderá ser utilizado pela indústria para testes de alguns produtos da construção civil e eletroeletrônicos, por exemplo, exceto de aviões. O túnel de vento da USP de São Carlos, semelhante ao do ITA, está em fase de instalação e também conta com o suporte técnico do IAE.