Notícia

G1

Para reitor, ranking mundial mostra que a USP está no caminho certo

Publicado em 15 março 2012

O professor João Grandino Rodas, reitor da Universidade de São Paulo (USP), afirmou que a aparição da instituição brasileira no ranking das 100 universidades mais respeitadas do mundo é uma consequência de um trabalho sem "descanso". A USP ficou na faixa entre o 61º e o 70º lugar na lista elaborada pela instituição londrina Times Higher Education (THE) e divulgada nesta quinta-feira (15).

Em nota, a assessoria de imprensa da USP afirmou que Rodas considera o bom resultado da instituição - a única brasileira incluída na lista - como um sinal de que ela está no caminho certo. Ele afirmou que "a caminhada para a excelência não permite descanso" e que a classificação da USP foi resultado de contribuições diferentes de cada um dos 58 órgãos e unidades da universidade.

"Quando se fala em USP, refere-se a uma média, para a qual contribuem diferentemente os 58 órgãos que a compõem. Cada um desses órgãos deve examinar qual vem sendo sua contribuição para a referida média e incrementá-la", disse ele, na nota publicada no site oficial da universidade.

O ranking foi montado a partir de uma pesquisa com mais de 17,5 mil professores convidados de 137 países. Em entrevista ao site da USP, Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), afirmou que a metodologia do ranking da THE, atualmente na segunda edição, foi aprimorado.

"O Times Higher Education melhorou a medida da reputação, tornando o survey mais equilibrado entre as regiões", explicou Cruz. Segundo ele, pesquisadores da USP passaram a participar de mais projetos no Reino Unido, onde fica a instituição. "Alguns projetos já foram aprovados, gerando destaque e visibilidade na comunidade de pesquisa de lá."