Notícia

Correio Popular

Para identificação, esmalte dos dentes

Publicado em 25 junho 2006

Você sabia que a impressão digital não e a única forma de identificação humana? Além das conhecidas linhas existentes nas pontas dos dedos, o esmalte do dente é outra característica única de cada ser humano. Foi o que comprovou uma pesquisa realizada pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
O novo método poderá ser usado na identificação de vitimas de desastre em massa, onde, possivelmente, os cadáveres ficam carbonizados, putrefeitos ou reduzidos a partes. Isso porque o dente é um dos órgãos mais resistentes ao calor: pode suportar de 300°C a 5000C ou mais quando protegidos pelos tecidos bucais. Foram estudados 274 dentes incisivos inferiores isolados e dentes direta mente da cavidade bucal de 30 indivíduos, O esmalte dental é caracterizado por camadas de prisma em direções regularmente alternadas. Essas camadas sucessivas formam as Bandas de Hunter-Scbreger (HSB), que aparecem como faixas claras e escuras quando vistas sob forte iluminação lateral. O estudo, desenvolvido pela cirurgiã-dentista Liza Urna Ramenzoni, verificou que cada dente analisado apresentava um padrão único de bandas.

Metodologia
Os dentes foram fotografados em uma lupa esteroscópica (com capacidade de ampliação de até 50 vezes) com iluminação lateral de fibra óptica na região cervical. As imagens contrastadas foram analisadas em software de identificação automatizado de base biométrica, o mesmo utilizado para identificação de impressão digital. Os resultados demonstraram que o padrão das bandas é altamente variável e único para cada dente analisado.
A pesquisadora, que contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), trabalha no tema desde a iniciação científica, em 2002.
O trabalho foi aceito para ser publicado na revista inglesa Proceedings of the Roya Society - Biology. Estudo anterior já mostrou que as bandas estão preservadas em mamíferos pré históricos que viveram há 60 milhões de anos.