Notícia

Cruzeiro do Sul online

Papel sintético chega ao mercado gráfico do Brasil

Publicado em 16 novembro 2009

Desde o início de novembro, o Vitopaper - inovação feita com resíduos plásticos reciclados - está disponível no formato padrão do mercado gráfico (66 x 96 cm) e passa a ser distribuído pela VSP Papéis em todo o Brasil. "O papel sintético, que já vem sendo utilizado nos mercados promocional e editorial, agora pode ser adquirido em volumes menores, para aplicações diversas", afirma José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Vitopel, empresa fabricante do Vitopaper.

Feito a partir dos plásticos coletados pelas cooperativas e catadores, o papel sintético da Vitopel é o primeiro no mundo a usar a tecnologia dos filmes flexíveis aplicado em rótulos, embalagens, pet food, na indústria gráfica, entre outros, porém com diferentes tipos de polímeros (PP, PE, PVC, EVA) em sua composição. O resultado é um material similar ao papel couché, resistente, impermeável, que permite a escrita manual com canetas e lápis, além da impressão pelos processos gráficos, como off-set plana ou rotativa. O produto, lançado em maio deste ano, conta com uma patente, depositada em nome dos três parceiros no desenvolvimento: Vitopel, Ufscar e Fapesp. A Vitopel investe anualmente cerca de US$ 2 milhões em pesquisa e desenvolvimento (P&D) "e detém outras patentes de produtos criados para diversos mercados, como o de embalagem", lembra Roriz Coelho.