Notícia

A Tribuna (Santos, SP)

Pão com ferro

Publicado em 18 abril 2005

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), quase 45% das crianças brasileiras com menos de cinco anos são anêmicas por deficiência de ferro. Com a intenção de tentar reverter o problema, cientistas do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) têm estudado a mistura de sulfato ferroso (FeSO4) à farinha para a fabricação de pães.

"A farinha enriquecida com ferro apresentou-se estável durante os seis meses do período de validade", disse Maria Inês Ré, coordenadora da pesquisa, à Agência Fapesp. Os testes com seres humanos foram realizados com 413 crianças de quatro creches da cidade de São Paulo. Durante 24 semanas, duas creches receberam pãezinhos com o FeSO4, enquanto as crianças das outras duas unidades receberam pães normais. O quadro de anemia entre as crianças que ingeriram os pães enriquecidos caiu de 32% para 11,5%, ao final dos seis meses de estudo.

Agora, a Secretaria de Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo do Estado de São Paulo, que está analisando a implantação de um programa seja implementado em creches do Estado de São Paulo para combater a anemia infantil por deficiência de ferro. "A idéia é oferecer pães enriquecidos na merenda escolar. A fonte suplementar de ferro foi bem aceita pelas crianças durante os ensaios clínicos realizados", disse.