Notícia

Portal Exame

Pai da física atômica vira professor honorário da USP

Publicado em 12 março 2013

Por Karina Toledo, da Agência FAPESP
São Paulo - Boa parte dos cientistas dedicados a desvendar os mistérios dos átomos e da mecânica quântica – aquela das partículas subatômicas – cultiva certa obsessão por alcançar temperaturas extremamente baixas, cada vez mais próximas do chamado “zero absoluto” (0 K na escala Kelvin ou -273,15ºC na escala Celsius). Em entrevista à Agência Fapesp, o vencedor do Prêmio Nobel de Física de 2001, Eric Cornell, explicou por quê: “Você pode pensar na temperatura como barulho, falando metaforicamente. Quanto mais baixa [...]

Conteúdo na íntegra disponível para assinantes do veículo.