Notícia

O Serrano

Origem do sexo

Publicado em 25 janeiro 2008

Agência FAPESP — Um simples fungo está ajudando a ciência a entender as causas que promovem a diferenciação entre os sexos. A novidade ganhou a capa da edição de 09 de janeiro da revista Nature.

O Phycomy-ces blakesleeanus é um fungo filamentoso conhecido pela sensibilidade à luz, o que faz com que a maioria dos estudos que o envolvam estejam relacionados a fenômenos como o fototropismo. Mas na nova pesquisa o foco é outro: sexo. Como em outros fungos, a determinação do sexo no P. blakesleeanus não é controlada por um cromossomo completo, mas por uma pequena região do genoma denominada locus (posição) sexual.

Por meio de recursos de bioinformática e de mapeamento genético, a equipe coordenada por Joseph Heitman, do Departamento de Genética Molecular e Microbiologia da Universidade Duke, nos Estados Unidos, identificou dois alelos (formas alternativas do mesmo gene) sexuais, que chamaram de mais e menos e que têm papel fundamental na determinação do sexo.

Assim como o gene SRY, regulador-chave no processo de diferenciação sexual em embriões humanos, os alelos codificam fatores de transcrição. "Cada alelo sexual contém um único gene que codifica uma proteína do grupo de alta mobilidade [envolvida com o processo de transcrição], implicando que tais proteínas são uma forma inicial dos locais de diferenciação sexual no fungo", descreveram os autores.

Segundo eles, os resultados da pesquisa indicam e existência de "um mecanismo geral para os passos iniciais na evolução da determinação sexual e da estrutura cromossômica ligada ao sexo em eucariontes".

Para a Nature, embora mais pesquisas sobre o tema sejam necessárias, o estudo agora publicado "dá um passo fundamental rumo à compreensão da trajetória evolucionária da região de determinação sexual no reino dos fungos".