Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP) online

Opinião da folha: Soluções nas cidades

Publicado em 04 janeiro 2020

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado lançaram o programa Ciência para o Desenvolvimento. A ação visa encontrar soluções para desafios urbanos comuns às cidades paulistas na área de saúde e dos setores de energia, agricultura, manufatura avançada, cidades inteligentes, segurança pública e meio ambiente.

Os projetos serão elaborados e executados por consórcios – denominados Núcleos de Pesquisa Orientada a Problemas em São Paulo (NPOP-SP) – formados por pesquisadores de universidades, instituições de pesquisa públicas e privadas e empresas parceiras.

Aberta até 17 de fevereiro de 2020, a chamada financiará projetos de pesquisa internacionalmente competitivos, de médio e longo prazo, a serem executados por equipes de institutos de pesquisa e de universidades ou instituições de ensino superior, em parceria com órgãos de governo e, sempre que possível, envolvendo também empresas ou ongs.

O edital busca selecionar propostas de pesquisa com resultados práticos, aplicáveis em curto prazo, que ajudem a solucionar alguns problemas de relevância social e econômica no Estado. Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor-científico da fundação, explica que os núcleos de pesquisa ganharam esse nome porque se deseja enfatizar que as pesquisas que irão realizar serão orientadas a resolver ou minimizar problemas de relevância social e econômica no Estado de São Paulo.

A chamada mobilizará R$ 400 milhões, uma vez que ao valor total oferecido pela Fapesp, de R$ 100 milhões, soma-se a exigência de cofinanciamento em igual valor pela entidade parceira que se dispõe a aplicar os resultados e mais R$ 200 milhões das instituições-sede dos núcleos, na forma de contrapartida econômica.

As áreas selecionadas para o edital são estratégicas para o Estado de São Paulo e as que apresentam maior potencial de impacto dos resultados. O setor agrícola, por exemplo, representa 15% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado e tem entre os principais desafios tecnológicos aumentar a produção com sustentabilidade ambiental. A região de Araçatuba possui forte vocação no setor de agronegócios.

Na área de infraestrutura, um dos desafios é desenvolver métodos para dimensionar a disponibilidade hídrica subterrânea dos principais sistemas aquíferos do Estado. O abastecimento de água no futuro é um tema de interesse da maioria dos municípios.

Já a área da segurança demanda uma solução que contribua efetivamente para a diminuição de roubos de carga em São Paulo, que, em 2018, geraram um prejuízo econômico superior a R$ 3,6 bilhões.

Esses problemas demandam soluções complexas que, individualmente, uma empresa, universidade ou instituição de pesquisa não conseguiriam resolver, segundo as palavras do secretário-executivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Américo Sakamoto.

É importante que empresários, pesquisadores, representantes de organizações não governamentais e gestores públicos da região Noroeste participem e acompanhem esta ação em benefício do desenvolvimento das cidades.