Notícia

O Girassol online

Oi Futuro apresenta a origem dos deuses gregos em linguagem digital

Publicado em 16 outubro 2014

A criação dos deuses gregos descrita em “Teogonia”, de Hesíodo, será apresentada em formato digital no Oi Futuro em Ipanema, a partir do dia 18 de outubro, dentro do projeto Poesia Visual. O pesquisador e artista Fabrizio Poltronieri exibe a série de poemas intitulada “Teogonias icônicas: A apresentação do Deus computacional”, gerada ao acaso a partir do conteúdo extraído de regiões da memória de um computador.

 

As imagens exibidas foram criadas por Fabrizio por meio de um programa de computador, que randomicamente organizou o conteúdo do texto de Hesíodo sobre a origem dos deuses da mitologia grega, transformando-o em poemas visuais.

 

O projeto Poesia Visual foi concebido pelo curador de Artes Visuais do Oi Futuro, Alberto Saraiva, e recentemente ganhou livro da coleção Arte & Tecnologia, com os melhores momentos de sua trajetória de três anos. Pioneiro, o projeto é uma plataforma de apresentação da produção de poesia visual e de reflexão sobre sua interlocução com as artes visuais. Já participaram artistas como Ferreira Gullar, Tadeu Jungle, Antonio Cicero, Adolfo Navas, Lenora de Barros e Wladimir Dias-Pino. “O projeto Poesia Visual é uma plataforma de reflexão sobre a poesia visual no  Brasil hoje. Estamos apresentando trabalhos inéditos de vários poetas, produzidos nos últimos anos, mas também fazemos uma manutenção de idéias, ou seja, apresentamos obras históricas que não tiveram grande destaque na ocasião em que forma realizadas”, declara o curador Alberto Saraiva.

 

Teogonia, que significa genealogia dos deuses, é um poema mitológico escrito no séc. VIII a.C., e descreve a criação do mundo, dividindo-a em três gerações divinas: a criação do mundo, ou cosmogonia; a genealogia das gerações divinas, ou teogonia propriamente dita; e a ascensão de Zeus ao poder. O narrador do poema é o próprio Hesíodo na forma de aedo, terminologia grega utilizada para denominar os poetas que cultuavam a deusa Memória e as musas; e recebiam dessas divindades a inspiração para compor canções ao som da lira, que exibiam em declamações.

 

Os poemas visuais que representam a deusa Memória e as musas ficarão expostos na Galeria 1 do Oi Futuro em Ipanema. Já o Monte Hélicon - onde o aedo Hesíodo foi despertado como poeta por uma aparição das musas, que fizeram dele um vidente – será representado na Galeria 2, com a exposição dos poemas visuais dos deuses Hera, Afrodite, Dionísio, Apolo, Ártemis, Atena, Hefesto, Posídon, Hermes, Hades e Zeus.

 

As 21 obras de “Teogonias icônicas: A apresentação do Deus computacional” ficarão expostas no Oi Futuro em Ipanema até o dia 04 de janeiro de 2015.

 

Biografia do artista

Fabrizio Poltronieri nasceu em São Paulo em 1976. É artista, ensaísta, pesquisador, programador e Doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Aprendeu a linguagem de códigos computacionais ao mesmo tempo em que se alfabetizou e sempre soube que, a partir dela, poderia criar o que quisesse, um universo novo, como faz qualquer artista. Sua pesquisa em arte sempre esteve relacionada com o desenvolvimento tecnológico. É fundador do coletivo [+zero] com o qual produz intervenções, performances e objetos interativos desde 2007.

 

Em 2011, o coletivo [+zero], com o pseudônimo de ++Caceypollard, foi premiado pelo Itaú Rumos Arte Cibernética, considerado o maior prêmio no gênero na América Latina. Na mostra no Itaú Cultural (2011) em São Paulo apresentaram o autômato ‘Amigóide’, um robô carente em busca de amizades humanas, buscando pessoas para interagir e conversar entre os visitantes da exposição.

 

Além de artista, Fabrizio  atualmente mora na Alemanha onde participa como pesquisador associado do Gamification Lab na Universidade de Leuphana, em Lüneburg. Sua pesquisa é uma parceria da instituição alemã com a PUC–SP e tem apoio da Fapesp. Esta pesquisa é dedicada a investigação da produção de conhecimento a partir de códigos pós-históricos. Em 2011-2012, realizou pesquisa de pós-doutorado sobre os primórdios da Arte Computacional no Royal College of Art, em Londres.

 

Seus artigos também figuraram em livros como o recente “Re-thinking gamification”, “Von Begriff zum Bild: Medienkultur nach Vilém Flusser”, “O corpo implicado: Leituras sobre corpo e performance na contemporaneidade” e “O mapa do jogo”. Este ano lançou como co-editor o livro “The Permanence of the Transient: Precariousness in Art” pela Cambridge Scholars Publishing.

 

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que desenvolve e apoia programas e projetos nas áreas de educação, cultura e sustentabilidade. O Oi Futuro tem um compromisso com a transformação e com a inclusão social, tendo como missão promover o desenvolvimento humano por meio das tecnologias da informação e da comunicação. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.

 

Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital e criativa, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), com programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, e o Museu das Telecomunicações nas duas cidades, além de apoiar festivais e projetos em todas as regiões Brasil por meio do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados.

 

O programa Oi Novos Brasis reafirma o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano. O esporte completa o seu escopo de atuação apoiando projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal.

 

SERVIÇO:

Oi Futuro em Ipanema

De 18 de outubro a 04 de janeiro de 2015

Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema

Galerias 1 (no térreo) e 2 (3º piso) e Vitrine

De terça a domingo, das 13h às 21h

Classificação livre

Entrada franca