Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

Oficina Cultural sedia lançamento de livro sobre historia musical de São Carlos

Publicado em 09 dezembro 2010

Por Por André Dantas

Hoje acontece o lançamento do livro "Memória Musical: Retratos de um Conservatório", de autoria da maestrina são-carlense Rita de Cássia Fucei Amato. A obra é resultado de uma pesquisa de doutorado realizada no Programa de Pós--Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (L"Iscar) com patrocínio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Publicado pela Editora Annablume, o livro retrata a historia da música na cidade, tendo como foco principal o Conservatório Musical da cidade, que funcionou de 1947 até 1991.

"O Conservatório de São Carlos formou toda uma geração de pessoas que incorporaram a música profissionalmente, ou que são pelo menos bons ouvintes. Essa historia tem ramificações até os dias de hoje, pois muitos filhos e netos dos ex-alunos hoje estudam música" diz Rita de Cássia.

Segundo ela, o Conservatório, fundado pela pianista Cacilda Marcondes Costa, foi criado numa época de efervescência do ensino musical no Estado de São Paulo, quando foram criadas inúmeras instituições do tipo.

"Nessa época, era sinal de distinção e prestigio estudar piano, assim como aprender francês. Por isso muitas mulheres da classe média estudavam no Conservatório, como forma de agregar valor a sua formação" aponta a autora. Segundo ela, mais de 90% dos alunos do conservatório eram mulheres. "E muitos dos ex-alunos que eu entrevistei são filhos de imigrantes italianos, que davam muito valor para a música" explica Rita de Cássia.

A autora conta que a maior dificuldade na elaboração do livro foi a falta de registros do conservatório em posse da família da antiga proprietária. Com isso, a historia foi reconstituída por meio de depoimentos de 11 ex-alunos e professores do conservatório e de uma extensa pesquisa em jornais de mais de cinco décadas. Ela também utilizou os trabalhos de sociólogos como Pierre Bourdieu e Norbert Elias para fundamentar sua análise a respeito do papel da música na formação cultural e dos valores familiares dos são-carlenses da época.

Para se ter uma idéia do valor atribuído ao ensino musical na época, o Conservatório concedia diplomas reconhecidos pelo MEC aos alunos que completassem os nove anos de estudo. "Para ser aprovado, o aluno precisava passar por uma banca avaliadora formada por professores, e havia fiscais ligados a Secretaria de Cultura que supervisionavam os programas usados no ensino de piano" revela. O programa e a metodologia de ensino na época eram ditados pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, que por sua vez inspirava-se no Conservatório de Paris. "Mas estudava-se também os autores nacionais, como Villa-Lobos e Camargo Guarnieri" diz.

Esse é o segundo livro lançado por Rita de Cássia, que atualmente c pós-dou-toranda na Universidade de São Paulo (USP) c rege o coral Madrigal InCanto cm São Carlos. Ela lançou em maio desse ano o livro "Manual de Saúde Vocal", pela Editora Atlas.

A solenidade de lançamento da obra, que acontece na Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda a partir das 20hs, vai contar com uma sessão de autógrafos, mesa redonda e um recital de piano com várias pianistas que lecionaram ou estudaram no Conservatório Musical de São Carlos. Já estão confirmadas as presenças de Maria Inez Botta, Diana Cury, Claudete Sacomano, Lilian Cornachioni Estrozi, Lea e Leila Patrizzi. O evento é aberto ao público e tem entrada franca.