Notícia

Terra

Obtidas células-tronco do tecido do cordão umbilical

Publicado em 25 outubro 2007

Uma pesquisa realizada na Universidade de São Paulo (USP) confirmou que o cordão umbilical é rico em células-tronco. No entanto, em vez de focar a atenção no seu sangue, os cientistas estudaram o próprio tecido do cordão, informou a Agência Fapesp nesta quinta-feira.

As células-tronco retiradas do cordão umbilical são consideradas versáteis pelos especialistas por serem consideradas adultas, já que vêm de um bebê, um indivíduo praticamente formado. O estudo, liderado pela bióloga Mayana Zatz encontraram no tecido do cordão as chamadas células-tronco mesenquimais.

Esse tipo de célula-tronco pode dar origem a tecidos como músculo, osso, cartilagem e gordura, sendo mais promissor para o desenvolvimento de novas terapias. "Conseguimos isolar células-tronco mesenquimais em uma de cada dez amostras extraídas do sangue", disse Mayana à Fapesp.

Ela diz ainda que o sangue do cordão umbilical é rico em células-tronco hematopoéticas, que têm potencial para formação de sangue. São, portanto, ideais para uso em terapias de doenças sangüíneas como leucemia e anemia falciforme.

A pesquisadora diz também que já estão sendo feitos estudos em modelos animais para o uso de células mesenquimais na substituição de tecido muscular. Entretanto, é preciso intensificar as pesquisas em torno da descoberta para tornar essas possibilidades uma realidade.