Notícia

Partido da Causa Operária

O secretário do decreto de Serra acusado de favorecimento ilícito

Publicado em 26 maio 2007

O novo secretário de Ensino Superior, José Aristodemo Pinotti (PFL), cujo cargo foi criado pelo decreto do governador José Serra, em apenas alguns meses no cargo, já é acusado de corrupção

Um documento divulgado pela página de notícias Midiandependente levanta provas de que o novo secretário de Serra, José Aristodemo Pinotti, pediu favores à reitoria da USP e de que os burocratas universitários de alto cargo negociam vagas na USP.

Na carta, Pinotti pede à reitora da USP, Suely Vilela, uma vaga em pós-graduação na Escola Politécnica para o "Sr. Joedson Carneiro Nunes", seu funcionário de gabinete. Está ainda indicado na carta que Joedson teria "recursos financeiros" para arcar com o curso.

Estariam envolvidos também o chefe de gabinete da reitoria da USP, Alberto Carlos Amadio e o professor Ivan Gilberto Sandoval Falleiros, diretor da Escola Politécnica, que estariam citados em uma carta escrita em anexo à carta principal da reitora.

O anexo seria uma prova de que Suely Vilela, ao receber o documento, o teria repassado para que seus funcionários encaminhassem o pedido de Pinotti. Os documentos seriam oficiais, inclusive com papel timbrado.

Pinotti: sócio da máfia dos cursos pagos

O curso para o qual Pinotti requisitou é pago. Apesar de cursos privados serem inconstitucionais em universidades públicas, estes atuam abertamente com toda a concessão da reitoria da USP.

Sob fachada de atividade de "extensão universitária", cobra-se atualmente uma mensalidade de R$ 733,00 para o curso de pós-graduação citado e este ainda usa professores da USP para lucrar com as altíssimas mensalidades.

Os decretos de José Serra irão beneficiar justamente estas máfias dentro da universidade, voltadas a lucrar com o dinheiro público. A secretaria de Pinotti, segundo os decretos, tem poder para centralizar todo o repasse de verbas da universidade, especialmente aquele controlado pela Fapesp, que controla as verbas para pesquisas e será transferida para dentro da secretaria.

As típicas burocracias corruptas do estado estão intimamente ligadas ao favorecimento pessoal e até à sociedade de políticos com as máfias apoiadas em serviços públicos. O trânsito de Pinotti na burocracia universitária da USP mostra o quanto aprofundado está este processo escamoteado pela burocracia universitária na maior universidade pública do País.

Fora Pinotti! Fora Serra!! Abaixo os decretos!

Os decretos de José Serra estão voltados a alimentar o parasitismo de empresas privadas nas universidades públicas. Os estudantes devem reivindicar a extinção da Secretaria do Ensino Superior e do cargo de Pinotti, bem como a revogação de todos os decretos, chamando também o Fora Serra, contra o governador do estado.

Além dos decretos contra as universidades estaduais, Serra é autor de mais de 150 decretos  e de inúmeros ataques contra a população, não apenas os estudantes, mas também aos funcionários públicos estaduais. Esta palavra de ordem deve estar ligada diretamente à demonstração de força dos estudantes e trabalhadores e deve ser uma expressão das reivindicações dos que se levantam em todo o estado contra o governo.