Notícia

SBC Notícias Online (Cardiologia)

O que havia de pesquisa saía daqui

Publicado em 27 junho 2007

O Instituto Agronômico é a mais antiga instituição de pesquisa agrícola da América Latina. Foi fundado em 1887 com o nome de Imperial Estação Agronômica de Campinas. Foi lá, por exemplo, que se instalou o primeiro laboratório de análise de solo e de fertilizantes do País, lembra o diretor do Agronômico, Orlando Melo de Castro, que está no IAC há 29 anos, 3 como diretor. "As primeiras variedades melhoradas de café foram lançadas em 1936; em 1925, criamos o primeiro programa de melhoramento genético de algodão. Em 1950, apresentamos o porta-enxerto para uva, que tornou viável seu cultivo em regiões tropicais. O que havia de pesquisa saía daqui."

Em 2004, pesquisa coordenada pelo IAC concluiu o genoma de citros, mapeamento que constitui o maior banco de informações sobre citros do mundo. Foram concluídas 240 mil seqüências de genes; atualmente, não chega a 50 mil o total de seqüências existentes em bancos de dados públicos em todo o mundo.Também em 2004, concluiu-se o genoma do café, com o seqüenciamento do genoma do arábica, responsável por cerca de 80% da produção brasileira. Hoje, 90% do café plantado no País são variedades do IAC. Na Costa Rica, esse índice é de 95%.

Castro destaca que o instituto tem tecnologia de ponta em laboratórios de solos e genética (citros e café), além da área de fitoquímica, que pesquisa a extração de óleos essenciais. Em 2007, somando o material já lançado e o que deve sair até o final do ano, serão 20 novas variedades: três de cana-de-açúcar, uma de mamona, seis de feijão, duas de trigo,uma de algodão, uma de arroz arbóreo, uma de maracujá-roxo, duas de pêra, uma de pêssego, uma de nectarina e uma de milho pipoca. Segundo Castro, a pesquisa busca variedades resistentes e mais produtivas.

PÓS-GRADUAÇÃO

O IAC também foi pioneiro no Estado na criação de um curso de pós-graduação stricto sensu (mestrado), em 1999. Aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), o Curso de Pós-Graduação em Agricultura Tropical e Subtropical recebe cerca de 100 alunos por ano.

"Já temos 150 dissertações defendidas", conta a coordenadora do Programa de Pós-Graduação, Ana Lagoa. "E muitas dessas dissertações viram pesquisa e podem resultar em novas tecnologias."

NÚMEROS

750 variedades de 66 espécies foram desenvolvidas pelo IAC em 120 anos

204 pesquisadores trabalham no instituto

350 é o número de funcionários de apoio

600 é o número de projetos de pesquisa atendidos em 2006

20 é o número de variedades lançadas pelo instituto em 2007

R$ 25 milhões foi o total de recursos liberados pelo orçamento do Estado para o Agronômico em 2006

R$ 16 milhões foi o total de recursos obtidos na iniciativa privada e em órgãos de fomento (CNPq, Fapesp, Finep) em 2006 pelo instituto

90% do café cultivado no País utilizam variedades desenvolvidas pelo Instituto Agronômico