Notícia

A Tribuna (Santos, SP) online

O que é a Iniciação Científica?

Publicado em 21 setembro 2018

Por Martha Vergine

Olá, estudante!

Na última semana, falei sobre a necessidade de colocarmos em prática nossas produções textuais.

Nesta sexta, vou falar sobre a iniciação científica – que é a porta de entrada para estudantes se desenvolverem enquanto pesquisadores.

Pode começar no ensino médio, estimulando o estudante, oriundo das escolas básicas, investigar um determinado assunto de uma área de conhecimento. Inclusive, existem programas de Universidades em Santos que oferecem, em parceria com o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), bolsas de iniciação científica para alunos de escolas conveniadas (no site www.campus013.com.br, conto tudo!)

Mas, geralmente, é na Universidade que o aluno desperta para a iniciação científica.

Ele pode procurar os professores mais voltados à área de pesquisa – que serão seus orientandos nos trabalhos desenvolvidos ao longo dos semestres.

Depois, pode pleitear uma bolsa de iniciação científica financiada pelo Governo Federal ou pela própria instituição em que estuda – essa é a parte mais interessante, porque a bolsa ajuda a custear parte das mensalidades (isso se for de uma instituição de ensino superior privada) ou até integralmente, dependendo da graduação que cursar.

Se o aluno for de universidade pública ou já tiver alguma outra bolsa, a bolsa de iniciação científica é uma ajuda de custo para continuar produzindo ainda mais.

Existem diversas bolsas para o jovem pesquisador. No Brasil, podemos destacar alguns programas:

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) – programa financiado pelo CNPq (este, por sua vez, que é ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), distribuindo bolsas de estudo para estudantes de graduação. Os bolsistas do PIBIC devem possuir um orientador e receber formação complementar que os prepare para a atividade de pesquisa.

PIC – esse nome varia de acordo com a instituição, mas são programas da própria universidade que estimulam a iniciação científica – o financiamento varia e, em alguns casos, não há ajuda de custo – mas outros benefícios ao aluno, determinados por uma comissão específica.

FAPESP, FAPERJ, FAPEMIG – são as agências estaduais de fomento à pesquisa. Nesses casos, são ligadas às pastas do Governo Estadual (essas que citei são de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais) e repassa um percentual dos impostos estaduais arrecadados para custear as bolsas aos estudantes.

POR QUE INVESTIR EM PESQUISA?

Pequenas investigações – que começam sempre com questionamentos e hipóteses levantadas pelos alunos, com auxílio do docente pesquisador – podem se tornar grandes descobertas no futuro!

ONDE APRESENTAR OS TRABALHOS?

Eventos acadêmicos e científicos acontecem todos os anos, em diversas universidades espalhadas pelo Brasil. Em geral, acontece no mês de outubro, que é uma época em que os estudantes estão terminando o último semestre do ano, sem conflitar com as provas finais, realizadas durante o mês de novembro.

Dois eventos em Santos merecem atenção, para quem pretende começar a entrar nesse mundo rico, que é a pesquisa científica:

Congresso Brasileiro de Iniciação Científica (COBRIC) http://eventos.unisanta.br/cobric/Inscricao – acontece em 25 e 26 de outubro

Encontro de Pesquisa e Iniciação Científica (EPIC)

http://portal.unimes.br/epicunimes/ – será realizado no dia 29 de outubro

Quer saber mais sobre palestras, cursos, congressos e todo tipo de capacitação para melhorar o currículo e garantir atividades complementares na graduação e na pós-graduação?

Acesse o site: www.campus013.com.br

Um abraço a todos e até a próxima sexta!

Natasha Guerrize

TAMO JUNTO!!! Nós estudamos e você ?