Notícia

O Diário (Mogi das Cruzes)

O poder, a ciência e as mulheres

Publicado em 22 março 2011

O final de 2010 e os primeiros meses de 2011 foram marcados por momentos históricos - e, por isso, simbólicos - para os brasileiros, e em especial para as mulheres. Concorde-se ou não comas diretrizes governamentais, um fato é indiscutível: pela primeira vez na história brasileira uma mulher ocupa o mais alto posto político do país. E isso não é um fato qualquer.

No entanto, não é apenas na política que as elas ganharam espaço. No mês em que se comemora o Dia Internacional das Mulheres, pesquisas dão conta do crescimento da sua participação em mais uma instância de poder: o poder intelectual.

No último dia 17, por exemplo, a National Aeronautics and Spàce Administration (NASA) lançou um site que traz o perfil de cientistas, engenheiras, astronautas e diversas outras profissionais que contribuíram para o desenvolvimento, nesses 53 anos de existência, desse que é um dos mais respeitados órgãos de desenvolvimento científico e tecnológico do mundo. O site (wunp.women.nasa.gov) reúne e conta, por meio de textos e vídeos, as histórias de 32 profissionais, como Laurie Grindle (engenheira e gerente de projetos) e Dottie Metcalf-Lindenburger (astronauta). O objetivo da página é atrair e incentivar as jovens a seguirem carreiras ligadas à NASA.

Outro exemplo que expressa a importância das mulheres no desenvolvimento da ciência e da tecnologia veio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), que divulgou relatório apontando um crescimento significativo da participação das mulheres na produção do conhecimento no Estado.

Das 19.678 solicitações de apoio à pesquisa recebidas pela FAPESP nó ano de 2010, 42% foram feitas por mulheres. Em 1992, esse percentual era de 30%. Das solicitações feitas por pesquisadoras, 61% foram aprovadas, ou seja, receberam o apoio financeiro da Fundação.

Entre 1992 e 2010, as Ciências Agrárias, da Saúde e as Engenharias foram as áreas em que a participação das mulheres mais cresceu: 17,20 e 14 pontos percentuais, respectivamente.

Notória e louvável, a participação das mulheres nas instâncias de decisão política e nos centros de desenvolvimento científico e tecnológico revela-se como um avanço em um país e em um mundo que ainda têm muito que melhorar.

Jesus Gonzalez é vice-reitor administrativo e financeiro da Universidade de Mogi das Cruzes