Notícia

Época

O pó que pode acabar com a seca do Nordeste

Publicado em 30 julho 2007

Por Flavio Machado

Grandes invenções brasileiras


O cientista brasileiro Marcos Gugliotti desenvolveu um pó que, lançado sobre reservatórios, açudes ou represas, cria sobre a água uma fina camada transparente capaz de reduzir em até 50% sua evaporação. Feito a partir de uma combinação de calcário agrícola com surfactantes (produtos que criam uma película sobre a água), a invenção pode minimizar os efeitos da seca no Nordeste, onde a evaporação chega a ("consumir" 40% da água dos açudes.

O pó, que faz efeito por dois dias, não é nocivo a peixe, plantas e homens, segundo Gugliotti, pó-doutorado em Físico-Química pela Universidade de São Paulo. "Há muito tempo você pode tratar ou evitar a poluição, mas contra a evaporação não se podia fazer nada até agora", diz. Sócio de uma pequena empresa de pesquisas, ele luta para produzir sua descoberta em escala industrial. Apesar se o produto possuir prêmios e certificados até da ONU, o cientista ainda não encontrou investidores nacionais dispostos a bancar a produção do redutor. "Já tiver pedidos até do Oriente Médio, mas não tenho capacidade de produzi-lo sozinho em grande escala", afirma. Em dezembro, Gugliotti participará de um concurso de projetos de negócios na Holanda. Ele cogita buscar no exterior o apoio que tem lhe faltado no Brasil.

 

Resultado — A metade superior da foto (1), onde a água se movimentar mais com o vento, mostra a parte da represa ainda não revestida pela película criada pelo pó. A metade inferior (2) indica como fica a água protegida pelo pó.

*Projeto apoiado pela FAPESP na modalidade PIPE