Notícia

O Povo online

O luminoso céu de Sobral

Publicado em 24 maio 2015

Por Dermeval Carneiro

Caros amigos leitores da nossa coluna Visões do Cosmos, no próximo dia 29 de maio comemoramos 96 anos da comprovação da Teoria Geral da Relatividade de Albert Einstein. Esse fato científico, da mais alta importância para a ciência, ocorreu durante as observações do Eclipse Total do Sol em 29 de maio de 1919 na cidade de Sobral. Uma das melhores referências a esse episódio da ciência moderna foi publicada na Pesquisa On-line – Fapesp por um dos mais importantes astrofísicos brasileiros da atualidade, o professor doutor Augusto Damineli, cujo artigo transcrevo parcialmente:

“...Na reunião da Royal Astronomical Society de 6 de novembro de 1919 (Londres), o Joint Eclipse Meeting tornou públicos os resultados do eclipse solar de 29 de maio de 1919. A deflexão (encurvamento) da trajetória da luz de uma estrela passando rasante no bordo solar foi de 1.80 ± 0.23 segundo de arco, em excelente acordo com os 1.75 segundo de arco previsto pela Teoria da Relatividade Geral de Einstein. O valor deduzido a partir da teoria da Gravitação Universal de Newton era de 0.78 segundo (supondo que a luz fosse composta por partículas). Essa diferença numérica parece minúscula, mas corresponde a diferentes esquemas conceituais da gravitação, de modo que uma delas devia ser descartada. O matemático britânico Alfred Whitehead descreveu a cena dramática, na sala encabeçada pelo retrato de Sir Isaac Newton, numa atmosfera de pompa e tradição. O mais famoso cientista da história, cuja teoria havia reinado absoluta por mais de 200 anos, era destronado. Em seu lugar subia um cidadão de um país inimigo (Alemanha), contra o qual os ingleses acabavam de ter uma guerra sangrenta de quatro anos, a Primeira Guerra Mundial, que deixara milhões de mortos. No dia seguinte, o Times, mais influente jornal da época (também inglês), espalhava o feito por todo o planeta. Desse dia em diante, Einstein teve uma popularidade jamais vista. Daí até a sua morte, em 1955, ele foi notícia no New York Times em todos os anos e se tornou uma referência de ousadia e fineza intelectual para os cidadãos de todo o planeta. A relatividade geral tomou corpo na física e abriu enormes horizontes para o conhecimento, jamais sonhados antes.

Existe um fato curioso sobre esse evento: as melhores provas do ‘efeito Einstein’ (como era chamada a deflexão da luz pela gravidade) foram obtidas no Brasil, em Sobral, mas isso foi esquecido pela maioria dos autores atuais, que só associam o feito às ilhas Príncipe, no Golfo da Guiné, perto da costa ocidental africana. O próprio Einstein, em passagem pelo Rio de Janeiro, teria reconhecido: ‘O problema que minha mente formulou foi respondido pelo luminoso céu do Brasil’. A falha de reconhecimento à importância de Sobral precisa ser corrigida, não só porque a demonstração da deflexão aconteceu aqui, mas porque o sucesso da missão inglesa que comprovou a teoria de Einstein se deveu, em parte, ao apoio logístico e levantamentos climáticos feitos por Henrique Morize, então diretor do Observatório Nacional do Rio de Janeiro.”

A comissão inglesa, encarregada da verificação do “efeito Einstein”, foi chefiada pelo doutor C. D. Cramelin acompanhado do doutor C. Davidson. A comissão brasileira foi chefiada pelo doutor Henrique Morize, que trouxe os astrônomos Domingos Costa, Lélio Gama, Teófilo Lee, Luís Rodrigues e Arílio de Matos.

Outras expedições para observação de eclipses do Sol com o objetivo de comprovar a teoria de Einstein foram realizadas, porém frustradas. Uma delas, em 1914 na Alemanha, foi impedida por razões políticas. Outra, na Argentina em 1916, o mau tempo não permitiu as observações. Mas, em 1919 o céu de Sobral permitiu e foram feitas excelentes observações.

Neste ano de 2015, mais uma vez a cidade de Sobral se transforma num palco de desenvolvimento educacional, científico e tecnológico. Com a instalação de um planetário digital, Sobral coloca o Ceará na vanguarda, tornando-se atualmente um dos dois únicos estados brasileiros a terem instalados dois planetários digitais – Sobral e Fortaleza.

O equipamento instalado é de fabricação alemã, marca Carl Zeis, modelo Skymaster ZKP3 com o sistema de projetores digitais Space Gate Quinto.

No âmbito educacional, o planetário possui inúmeros recursos aplicáveis às mais variadas áreas do conhecimento humano. Na área do entretenimento, o planetário oferece espetáculos imersíveis com a projeção de imagens digitais de altíssima qualidade, promovendo a cultura e o turismo da região.

O projeto para instalação do planetário de Sobral, foi uma das ações aprovadas pelo então governador Cid Ferreira Gomes por ocasião do Ano Internacional da Astronomia, definido pela ONU / Unesco no ano de 2009. A ação foi muito bem recebida pela administração municipal que, para a construção do prédio, o atual prefeito Clodoveu Arruda não mediu esforços para angariar recursos, inclusive junto ao Governo Federal.

Somente gestores públicos dotados de descortinos científico e cultural, são capazes de entender e investir em equipamentos da importância de um planetário. Hoje em dia, o planetário é considerado uma das melhores aplicações de recursos públicos para a inovação no ensino e popularização da Ciência e da Tecnologia.

A inauguração do Planetário de Sobral, que comemora os 96 anos do mais famoso Eclipse da história dos eclipses, coincide com outro fato importante – estamos no Ano Internacional da Luz, que também comemora os 100 anos que Einstein publicou sua teoria.

O planetário de Sobral está instalado ao lado do Museu do Eclipse e do Observatório Astronômico Henrique Morize, esse espaço na Praça do Patrocínio, é único espaço museológico no mundo alusivo 
ao eclipse de 1919 e à descoberta de Einstein.

Com essa iniciativa, os sobralenses ganham um presente inestimável e todos os cearenses estão de parabéns.