Notícia

Cruzeiro do Sul online

O governador paulista recebeu ontem o ministro Roberto Amaral

Publicado em 24 janeiro 2003

Responsável por 40% da produção tecnológica do País, o Estado de São Paulo planeja ampliar o número de parcerias com o Ministério da Ciência e Tecnologia para aumentar as exportações, a geração de empregos e. desta forma, cooperar com o desenvolvimento do Brasil. Ontem, o governador Geraldo Alckmin reuniu-se com o ministro Roberto Amaral no Palácio dos Bandeirantes para discutir novas ações conjuntas. Foi acertada a criação de um grupo de trabalho que será constituído por técnicos da Secretaria Estadual da Ciência. Tecnologia. Desenvolvimento Econômico e Turismo: das universidades paulistas USP, Unesp e Unicamp: da Fundação e para o Amparo à Pesquisa (Fapesp); do Centro Paula Souza; e das Faculdades de Tecnologia (Fatecs). Esse grupo desenvolverá pautas que serão enviadas ao ministério. Um dos tópicos debatidos ontem foi o desenvolvimento da indústria aeronáutica. A venda de aviões é hoje o primeiro item de exportação do Brasil e o Estado de São Paulo abriga as três maiores fábricas da Embraer, localizadas nos municípios de São José dos Campos, Gavião Peixoto e Botucatu. A fábrica de Botucatu é administrada pela empresa Neiva, subsidiária da Embraer. Alckmin explicou que o Ministério da Ciência e Tecnologia possui 14 Fundos para auxiliar no avanço do conhecimento tecnológico. Um deles é o Fundo Aeronáutico, que já está criado no papel, mas ainda não foi instalado. "Pedimos empenho para que este fundo comece rapidamente", disse.