Notícia

Blog No Mundo da Rua

O futuro em nossas mãos

Publicado em 06 janeiro 2020

Por Lia Perrotta

O Brasil é lindo. Cada lugar traz uma característica própria. Diversa e igualmente bela. Mas a falta de cuidado do ser humano tem modificado as paisagens. É preciso estarmos atentos a isso

Essa profissão de comissária, que se soma à de jornalista, tem me proporcionado muitas oportunidades de viver as diferentes paisagens que o nosso Brasil oferece. Vejo beleza em todos os lugares por onde passo.

Mas há algo triste que torna-se comum em todos eles: o descaso. Descaso não só nos ambientes urbanos, fruto da criação humana, mas também nas paisagens naturais. Nas praias, em trilhas… Onde quer que eu vá, seja em Teresina ou Curitiba, não importa, encontro rastros de que o homem passou por ali – muitas dessas marcas da presença humana são as sacolas, garrafas, canudos… Plástico. Muito plástico.

Fico a pensar se algum dia, num futuro distante, a natureza irá se rebelar.

Para tentar compartilhar com a natureza essa angústia que ela, certamente, sente, faço o mínimo. Quando vou à praia, não importa onde, recolho todo o tipo de lixo que encontro pelo caminho.

Lembra do vídeo de biólogos e veterinários retirando um canudo plástico do nariz de uma tartaruga, que recentemente viralizou na internet? Pois é, a cena me tocou tanto que intensifiquei ainda mais busca por plásticos nas praias. Especialmente os menores. Por causa da bandeira que passei a levantar, já vi muita gente me olhando torto. Sim. Mas também recebi elogios. Bacana demais! A questão que me coloco é: será que é necessário um elogio por algo tão básico?

Dados de 2011 da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) apontam que existem no planeta cerca de 9 milhões de espécies. O irônico é que o destino está nas mãos de apenas uma delas: o ser humano.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
BioSaber