Notícia

Envolverde

O Embaixador do Itamaraty+20 ou o futuro que queremos

Publicado em 02 setembro 2013

Editorial

A nomeação do Embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado como Ministro das Relações Exteriores atualiza a agenda ambiental brasileira e resgata o "Espírito do Rio" definido pelas duas Conferências da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento: a RIO-92, na qual ele foi assessor do então Chanceler, Celso Lafer, e a RIO+20, da qual foi o coordenador nacional. Não por acaso, em seu discurso de posse, o Ministro Figueiredo Machado destacou as célebres jornadas de Junho de 2012. Ele disse: "Não surpreenderá a ninguém que eu cite como exemplo o que fizemos na RIO+20. Demos, ali, passos essenciais. O desenvolvimento sustentável está, hoje, no centro da agenda internacional, e no centro do desenvolvimento sustentável está a erradicação da pobreza. Estamos, agora, engajados na construção de uma Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 - grande tema das Nações Unidas para os próximos anos -, na qual temos a perspectiva real de colocar-nos como objetivo, em um horizonte de tempo alcançável, a erradicação da pobreza em escala global. Nesse sentido, o Brasil é hoje um exemplo de políticas sociais bem-sucedidas, que têm sido buscadas por nossos parceiros como inspiração para um modelo de desenvolvimento sustentável aplicável a todos".

Palavras reforçadas pelo Ministro antecessor, Antônio Patriota, ao destacar o trabalho de Figueiredo Machado: "As qualidades do Embaixador Figueiredo demonstraram-se, uma vez mais, no desafio gigantesco que foi a organização e a realização da RIO+20, em que ele se destacou como articulador do consenso, alcançado antes do prazo, em torno do Documento Final conhecido como "O Futuro que Queremos"". Ambos traçam um perfil significativo sobre o pensamento do atual Ministro, sua experiência na diplomacia da ONU onde foi representante do Brasil até ser nomeado no Itamaraty. Tanto na etapa preparatória da RIO+20, quanto durante a Conferência e depois na ONU, Figueiredo se concentrou na implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que a próxima Assembleia-Geral da ONU promulgará em substituição aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Os ODS orientarão a mudança do atual modo de vida para padrões sustentáveis de produção e consumo objetivando a erradicação da pobreza e, consequentemente, minimizando a fome mundial. Os ODS podem se transformar no mapa do caminho para a efetiva implementação do desenvolvimento sustentável. Este tema é profundamente conhecido por parte do diplomata e mereceu o esperançoso comentário do economista José Eli da Veiga ao desejar que o novo Chanceler possa orientar o Itamaraty organizando uma rede nacional de consultas e intercâmbio sobre os ODS.

"Medida crucial para que o Brasil ofereça tudo o que esteja ao seu alcance em negociações multilaterais que poderão fazer germinar, com 40 anos de atraso, uma governança mundial do desenvolvimento sustentável", escreveu da Veiga. No futuro que queremos, o Ministro Figueiredo Machado deverá aceitar o desafio de fazer que o Brasil se destaque nas duas importantíssimas agendas internacionais de 2015: a dos ODS e a do clima, durante a COP-21, em Paris. Não é pouca coisa para o futuro que todos querem. A gestão de Figueiredo Machado será definida com a do Itamaraty+20.

Índice

04 José Eli da Veiga - A janela de 2014

05 André Trigueiro - Um Ministro Verde no Itamaraty

06 Renata Giraldi - Entrevista com Luiz Alberto Figueiredo Machado

08 Hughes Belin - Entrevista com Marcin Korolec sobre a COP-19

10 Lucas Tolentino - De olho no Efeito Estufa

11 Clarissa Neher - Rio é a cidade mais exposta a mudanças climáticas

12 Aldem Bourscheit - Código da Mineração atenta contra Áreas Protegidas

13 Rogério Daflon - Entrevista com Carlos Bittencourt

14 Ivan Valente - Novo Código Florestal amplia desmatamento na Amazônia

16 Washington Novaes - O lixo, seus dramas e os caminhos possíveis

18 Ricardo Abramovay - Os resíduos sólidos nas empresas e na 4ª CNMA

22 Geralda Magela - A humanidade esgotou os recursos da Terra para 2013

24 Maria Silvia B. Marques - Legado de sustentabilidade dos Jogos 2016

28 Claudia Rabelo Lopes - Entrevista com Rogério Gribel

32 Najar Tubino - Agroecologia: um novo marco para o país

36 Emilio Godoy - Críticos da fratura hidráulica pedem bloqueio financeiro

38 Williams P. M. Ferreira - A ciência para lidar com as secas na Amazônia

40 Rogério Lessa Benemond - Entrevista com Bertha Becker

44 Romeu de Bruns - Carros elétricos de Itaipu já rodaram 10 voltas na Terra

46 Julia Tramutola - O papel das mulheres frente à sustentabilidade

48 Leonardo Boff - A responsabilidade socioambiental das empresas

 49 Sérgio Mindlin - Sustentabilidade: utopia em construção?

 50 Rodrigo Burgos - Justiça pela morte do biólogo Gonzalo Hernández Alons