Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP)

O desafio da ciência paulista

Publicado em 21 outubro 2012

O Estado de São Paulo sediará nos dias 23 a 27 de outubro a Feira Ibero-americana da Ciência, Tecnologia e Inovação (Empírika 2012). Com o lema “Porque a ciência está em toda parte”, a programação do evento internacional de divulgação científica contará com uma série de atividades, que serão realizadas em São Paulo, Campinas e Vinhedo. Evento itinerante realizado a cada dois anos, a Empírika foi lançada em 2010, na Espanha, abrindo as comemorações dos 800 anos da Universidade de Salamanca, com a qual a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) possui acordo de cooperação para o desenvolvimento de projetos de pesquisa conjuntos entre pesquisadores e estudantes de pós-graduação do Brasil e do país ibérico.

Mundial

A Fapesp puxou para si a tarefa ambiciosa de tornar a ciência paulista mais mundial. Esta semana, o jornal Brasil Econômico divulgou que a fundação busca agora fortalecer o intercâmbio entre pesquisadores daqui e de fora, estreitar laços com empresas grandes e pequenas e seguir uma estratégia que faça de São Paulo referência global na área. O orçamento da Fapesp neste ano bate em R$ 1bilhão.

Oportunidade

“São Paulo é do tamanho da Espanha. Deveria ser capaz de competir em ciência e tecnologia com a Espanha, portanto. E nós fazemos menos patentes, menos artigos científicos, nossa ciência tem menos impacto”, diz o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz. Eis o desafio e a oportunidade para a ciência paulista e os novos talentos na área de pesquisa.

Jovens

O evento Empírika 2012 é organizada pelo Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (Labjor) da Unicamp. A feira deverá ter tanto atividades voltadas para despertar o interesse especialmente dos jovens pela ciência, cerne também por desafios, espetáculos de teatro, palestras, debates e atividades interativas.

Inovação

Uma das novidades da edição brasileira da feira de ciências será a Pólis Empírika, uma “cidade virtual do conhecimento” formada pela reprodução de partes de uma cidade real e por outras fictícias. Depois do Brasil, a feira deverá ser realizada em 2014 no México e em 2016 na Colômbia, retornando em 2018 para a Espanha.