Notícia

Info Energia

O Bioetanol da cana-de-açúcar, um livro organizado pelo professor Luís Augusto Cortez

Publicado em 16 setembro 2010

Mais notícias

São Paulo, 16/09/2010 - O livro Bioetanol de Cana-de-açúcar - P D para produtividade e sustentabilidade (Editora Blucher), organizado por Luís Augusto Barbosa Cortez, professor titular da Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e coordenador adjunto de Programas Especiais da FAPESP, será lançado nesta quinta-feira (16/9), na sede da FAPESP.

Trata-se de uma coletânea de trabalhos científicos realizados entre agosto de 2006 e março de 2009 no âmbito do projeto "Diretrizes de Políticas Públicas para a Pesquisa Científica e Tecnológica em Bioenergia no Estado de São Paulo" (PPP Etanol FAPESP), apoiado pela Fundação e coordenado por Cortez.

"Essa é a primeira referência abrangente da pesquisa científica e tecnológica voltada ao etanol de cana-de-açúcar", disse Cortez à Agência FAPESP, salientando que outros livros abordam aspectos específicos do setor sucroalcooleiro sem apresentar uma visão geral.

Por sua abrangência, a nova publicação não pretende fornecer estudos aprofundados, mas ser claro o suficiente para dar uma noção geral do assunto ao leitor.

Cortez estima que a obra servirá especialmente a professores e alunos de graduação e de pós-graduação e a demais interessados em se inteirar na pesquisa brasileira em biocombustíveis. As análises também podem subsidiar políticas públicas, segundo ele. "Apontamos as áreas em que é necessário investir, por exemplo", disse.

A obra reúne trabalhos de 139 especialistas de diversas instituições de pesquisa, como o Centro Nacional de Referência de Biomassa (Cenbio), o Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol (CTBE), o Instituto Agronômico (IAC), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), a Universidade Estadual Paulista (Unesp), a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Universidade de São Paulo (USP), além da empresa Dedini S.A. Indústrias de Base.

São 992 páginas, divididas em 76 capítulos agrupados em cinco partes. Cada uma ficou sobre a responsabilidade de organizadores. Estratégias de políticas públicas para o etanol foi coordenada por Cortez e Sustentabilidade da produção e do consumo de biocombustíveis, por Arnaldo Walter e Manoel Regis Lima Verde Real, do CTBE.

Novo modelo agrícola para cana-de-açúcar teve coordenação de Paulo Sérgio Graziano Magalhães (Unicamp) e Oscar Braunbeck (CTBE). A parte sobre Novo modelo industrial e usos finais do etanol foi organizada por Antonio Bonomi (Associação Brasileira de Engenharia Automotiva) e Roadmapping tecnológico para o etanol, por André Tosi Furtado (Unicamp) e Rodrigo Lima Verde Leal (Fundação CPqD).

"As pesquisas reunidas abrangem temas que vão desde questões voltadas para aspectos políticos e de sustentabilidade até problemas específicos de desenvolvimento tecnológico no setor sucroalcooleiro brasileiro", disse Cortez.

Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP, aponta, no prefácio, que o Brasil e o Estado de São Paulo devem intensificar as atividades de pesquisa e desenvolvimento nos temas abrangidos pelo livro.

"A posição de destaque do país no uso de bioenergia depende disso", afirmou, destacando que agora o Brasil enfrenta uma competição na área de bioenergia com as maiores potências científicas do planeta.

Precursor do BIOEN

Segundo Cortez, uma série de 20 workshops realizados pelo PPP Etanol FAPESP permitiu a criação de indicadores e a realização de diagnósticos do setor sucroalcooleiro nacional, identificaram gargalos e oportunidades e auxiliou os autores do livro com diversos dados.

O PPP Etanol FAPESP foi organizado pelo Núcleo Interdisciplinar de Planejamento Energético da Unicamp (Nipe) e contou com a parceria da Associação Paulista de Tecnologia em Agronegócios (APTA). O projeto abriu caminho para a criação do Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN).

"O trabalho do professor Cortez e da equipe que ele reuniu é uma riquíssima contribuição do BIOEN-FAPESP para o desenvolvimento da pesquisa e desenvolvimento sobre bioenergia no Brasil", disse Brito Cruz.

O livro também contará com uma versão em inglês que só será vendida pela internet.

O lançamento do livro na sede da FAPESP será das 10h às 12h e é aberto aos interessados. Para se inscrever, é preciso preencher o formulário na página www.fapesp.br/bioen/livrobioetanol. Mais informações: (11) 3838-4216.