Notícia

Jornal Brasil

Núcleo de inovação apoia captação e registros de propriedade intelectual

Publicado em 29 abril 2014

Para facilitar a captação de recursos para fomento de pesquisa, bem como os trâmites para registros de propriedades intelectuais, foi criado o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da Fipase (Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde). Desde 2010, a iniciativa já auxiliou mais de 30 projetos.

"O NIT presta consultoria técnica para projetos que envolvam, por exemplo, direitos de propriedade intelectual, desenvolvimento tecnológico e transferência de tecnologia", explica o diretor-presidente da Fundação, Adilton Carneiro.

Em 2013, o NIT contribuiu para que empresas ligadas a projetos da Fipase captassem aproximadamente R$ 2,5 milhões no Programa (Rhae), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), e no Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Segundo o diretor-presidente da Fundação, o NIT foi criado em atenção a Lei da Inovação (10.973/2004), que torna obrigatória a criação do núcleo com a finalidade de gerir a política de inovação de entidades ou órgãos da administração pública que tenham caráter científico e tecnológico.

Cultura

O trabalho do Núcleo de Inovação e Tecnologia da Fipase consiste no auxílio para a elaboração de projetos para captação de recursos junto a órgãos de fomento e para a implementação de modelos de gestão de projetos, visando criar uma cultura voltada ao desenvolvimento tecnológico. O NIT também facilita parcerias entre empresas assistidas, além de promover sua aproximação com a universidade.

Para o auxílio para o registro de patentes, a Fipase estabeleceu parcerias com duas empresas que prestam serviços que incluem processos relacionados a direito autoral e propriedade industrial (marcas, patentes e desenho industrial). A parceria beneficia empresas da Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica e as empresas do Arranjo Produtivo Local das Indústrias da Saúde de Ribeirão Preto (APL-Saúde).

Fonte: MCTI