Notícia

Olhão Online

Núcleo Cabuçu é Reserva da Biosfera

Publicado em 25 abril 2007

Por Luciene Oliveira, da Redação

Artigo 42 da lei aprovada na Câmara prevê a criação de área de proteção ambiental

O Núcleo Cabuçu, localizado numa área de 2.619,4 mil hectares em Guarulhos - a segunda maior parte do Parque Estadual da Cantareira - foi reconhecido pela Unesco como Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo (RBCV). Agora, a Prefeitura prevê no artigo 42 da Lei de Zoneamento a criação da APA (Área de Preservação Ambiental) Cabuçu-Tanque Grande.
A medida é resultado do Projeto Cabuçu, desenvolvido pela Universidade Guarulhos (UnG), com apoio da Fapesp e em parceria com entidades públicas nos anos de 2002 e 2005.
Um dos conselheiros da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo é Antonio Manoel dos Santos Oliveira. Ele é professor da UnG e responsável pelo Projeto Cabuçu, acompanhou vários grupos de pesquisa no Núcleo e conhece aquela região como a palma da mão. A seguir, os principais trechos de uma entrevista concedida no final do mês passado, no Laboratório de Geoprocessamento da UnG.

Olho Vivo - O que é RBCV?
Antônio Oliveira - Quando a Unesco criou, em 1976, o programa "Homem e a biosfera" (Man and biosfere), começou a criar Reservas da Biosfera em todo o mundo. No Brasil foram criadas várias: da Amazônia, do pantanal, da mata atlântica. Uma delas é a do Cinturão Verde de São Paulo, em 1994. Essa é muito especial, não existe similar no mundo. Tem uma área aproximada de 15 mil quilômetros quadrados com 23 milhões de pessoas, mais de 10% da população brasileira, numa área equivalente a 2% do território do País. Abrange 73 municípios, incluindo a região metropolitana de São Paulo e a Baixada Santista.

OV - Qual o principal objetivo da RBSV?
AO - A principal meta é passar para os tomadores de decisão a importância dos serviços da biosfera. É preciso tomar cuidado, não é por ser tão grande que não afunda. Lembra do Titanic?

OV - Como é a participação de Guarulhos no RBSV?
AO - Essa reserva é considerada um serviço que a biosfera oferece ao homem, já que colabora para a provisão de água, conforto térmico, despoluição, captação de carbono, entre outros serviços Tem uma grande concentração de riquezas e um núcleo de educação ecoprofissional de jovens muito importante.

OV - O que é o Projeto Cabuçu?
AO - É um trabalho de pesquisa da UnG que visa a fazer um diagnóstico ambiental da Zona de Defesa visando à implantação de um Sistema de Gestão Ambiental Participativa, além de um estudo do balanço hídrico da bacia. Foi aprovado no Programa de Pesquisa em Políticas Públicas da Fapesp, e realizado de 2002 a 2005, com a participação de instituições parceiras (Prefeitura Municipal de Guarulhos; IF — Instituto Florestal: PEC — Parque Estadual da Cantareira; RBCV e Seção de Geociências da Divisão de Dasonomia e Unicamp.

OV - Qual o resultado prático?
AO - A partir do estudo da região foi proposto à Prefeitura a criação da Área de Proteção Ambiental (APA) do Cabuçu — Tanque Grande. A pesquisa abriu vários caminhos para a UnG. Serviu de base para a realização de 11 pesquisas de iniciação científica; quatro cursos de especialização em gestão ambiental; oito mestrados em análise geoambiental, dois doutorados (USP e Unicamp) e dois mestrados também na USP e Unicamp. Esse trabalho nos deu uma bela sinergia científica.