Notícia

JC e-mail

Novos membros têm a responsabilidade de ajudar a ABC a contribuir para o desenvolvimento nacional, diz Bevilacqua

Publicado em 07 maio 2008

Por Luís Amorim

Os 18 novos membros titulares e quatro estrangeiros da Academia Brasileira de Ciências (leia abaixo a lista completa) tomaram posse nesta terça-feira, durante sessão solene da Reunião Magna da entidade, realizada em Copacabana, RJ.

A programação da Reunião Magna da ABC, que teve início no dia 5 e termina nesta quarta-feira, inclui simpósios, conferências, mesas-redondas e apresentações de jovens cientistas, incluindo os vencedores do Prêmio Jovem Cientista TWAS-Rolac.

Na sessão solene de posse dos novos membros, o responsável pela saudação foi Luiz Bevilacqua. "Os novos membros têm a responsabilidade de ajudar a ABC a contribuir para o desenvolvimento nacional, colocando o Brasil no concerto internacional dos países desenvolvidos", disse.

Bevilacqua defendeu que, hoje, o caminho para o desenvolvimento da ciência passa por um maior diálogo entre os pesquisadores de diferentes áreas. "Hoje a ciência é universal, sem a divisão estanques em departamentos e sem confinamentos. Estamos numa época de grandes desafios, trazidos pela enorme desenvolvimento da ciência nos últimos 100 anos. Agora chegamos em alguma barreiras que só serão ultrapassadas com a interdisciplinaridade e muito diálogo".

Ele criticou os que, a seu ver, confundem interdisciplinaridade com superficialidade. Não há superficialidade, há um novo mundo que dará origem a novas disciplinas, que hoje ainda não conhecemos e que teremos que estudar de forma interdisciplinar e com profundidade, defendeu.

Ele propôs, inclusive, que a ABC deixe de ser separada em seções, como Ciências Físicas ou Agrárias, e que os membros sejam todos puramente acadêmicos.

Vera Lúcia da Silva Valente Gaiesky, empossada na área de Ciências Biológicas e responsável pelas palavras dos novos membros, destacou que "apesar de cada um ter a sua especialidade, há fatores comuns a todos. Nosso caminho teria se acabado bem antes se fosse a nossa vontade de buscar as nossas verdades e o prazer de buscar as respostas que fazemos à natureza".

O ministro da C&T e também acadêmico, Sergio Rezende, defendeu que o país passa por uma transição e consolidação da área de C&T. Segundo ele, muito se deve aos recursos mais vultosos e regulares do FNDCT, que renasceu nos anos 90 depois da criação dos fundos setoriais. "Com mais recursos, foi possível a criação do PAC da CT&I, que está em pleno desenvolvimento".

A seu ver, a principal batalha agora é cuidar da aplicação do Plano e que a iniciativa privada encampe de forma irreversível a idéia de inovação. "Quando o empresariado entender a necessidade de se inovar, o PAC da CT&I terá se transformado de forma irreversível num plano de Estado e não somente desse governo", disse.

Sem adiantar detalhes, ele anunciou ainda que estão sendo discutidos com o CNPq uma revisão dos Institutos do Milênio, o aumento do Pronex e o aumento do número de bolsas de produtividade de pesquisa, para que a comunidade científica seja atendida de forma uma forma mais abrangente.

Ao fechar a cerimônia, o presidente da ABC, Jacob Palis, entregou o título de membros institucionais da Academia ao Inmetro e à Fundação Conrado Wessel, que agora juntam-se à Petrobras.

Ele destacou os diversos papeis que a ABC vem tendo, tanto na difusão do conhecimento, nas políticas públicas para a área e na cooperação internacional.

Ele destacou ainda que a ABC acaba de criar um grupo de estudo sobre biocombustíveis e outro sobre o papel das Fundações de Amparo á Pesquisa (FAPs). Sobre o primeiro, ele disse que "a criação se dá em boa hora, quando o Brasil está sendo erradamente atacado internacionalmente".

Em relação às FAPs, o objetivo é alcançar um maior desenvolvimento das FAPs que já existem, mirando no exemplo da Fapesp, e estimular a criação da Fundações nos Estados onde elas ainda não existem.

Prêmio Almirante Álvaro Alberto de Ciência e Tecnologia - Durante a solenidade, foi entregue ao pesquisador Sérgio Henrique Ferreira, que foi durante dois mandatos presidente da SBPC, a maior honraria brasileira na área, o Prêmio Almirante Álvaro Alberto.

O presidente do CNPq, Marco Antonio Zago, disse que o Ferreira ganhou o prêmio não apenas pelas suas contribuições nos estudos que levaram ao desenvolvimento de novas drogas anti-hipertensão, mas por todo o trabalho dele para o desenvolvimento da C&T.

Zago, que foi aluno de Ferreira, disse que a formação do grupo de pesquisa do premiado em Ribeirão Preto é um exemplo, por ter conseguido enorme qualidade em pouco tempo.

Já o presidente da Fundação Conrado Wessel, Américo Fialdini Júnior, defendeu a importância dos trabalhos de Ferreira. "Os resultados de sua pesquisa já ultrapassaram há muito as nossas fronteiras".

Ferreira, ao receber a honraria, citando o poema Tecendo a manhã, de João Cabral de Melo Neto, disse que o mérito não era só dele, mas de diversos técnicos, pesquisadores e familiares que o ajudaram.

Além dos já citados, participam da mesa, a presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Lúcia Melo; o secretário-executivo do MCT, Luiz Antonio Rodrigues Elias; o presidente da Capes, Jorge Guimarães; o presidente da SBPC, Marco Antonio Raupp; o secretário de C&T do RJ, Alexandre Cardoso; e o presidente da Finep, Luis Fernandes.

Confira abaixo quem são os novos acadêmicos:

Membros Titulares

- Ciências Agrárias: Jesus Aparecido Ferro (Unesp) e Siu Mui Tsai (USP)

- Ciências Biológicas: João Antonio Pegas Henriques e Vera Lúcia da Silva

Valente Gaiesky (ambos da UFRGS)

- Ciências Biomédicas: Débora Foguel (UFRJ), Fernando de Queiroz Cunha (USP) e Luisa Lina Villa (Instituto Ludwig de Pesquisa sobre o Câncer)

- Ciências da Engenharia: Edmundo Albuquerque de Souza e Silva (UFRJ) e Jean Pierre von der Weid (PUC-Rio)

- Ciências da Saúde: Carlos Augusto Monteiro (USP)

- Ciências da Terra: Aroldo Misi (UFBA)

- Ciências Físicas: Jacques Raymond Daniel Lépine (USP) e Ricardo Magnus Osório Galvão (CBPF)

- Ciências Humanas: Júlio Cezar Melatti (UnB)

- Ciências Matemáticas: Abramo Hefez (UFF) e Carlos Gustavo de Araújo Moreira (Impa)

- Ciências Químicas: Ademir Neves (UFSC) e Claudio Airoldi (Unicamp)

Membros Estrangeiros

- Ciências Biomédicas: William L. Klein (Northwestern University, Chicago, EUA)

- Ciências da Saúde: Eduardo Enrique Castilla (Fiocruz)

- Ciências da Terra: Yves Tardy (Université Louis Pasteur, Estrasburgo, França)

- Ciências Matemáticas: Charles M. Newman (American Mathematical Society).