Notícia

Jornal de Jundiaí online

Novo vírus ataca população

Publicado em 13 setembro 2006

Por Carolina Denardi

As mudanças bruscas de temperatura têm causado estranheza entre os adultos, mas as crianças é que estão entre o grupo dos mais prejudicados.

Segundo o pediatra, professor do departamento de pediatria e chefe do serviço de emergência do Hospital Universitário (HU), Saulo Duarte Passos, um novo vírus provocado pela inversão do clima tem vitimado crianças entre 8 meses e 1 ano, provocando febre alta de 2 a 3 dias e vermelhidão no corpo. Trata-se do herpes 6. O especialista acrescenta que o vírus pode causar inclusive convulsão febril na criança.

Saulo integra a equipe de pesquisa do projeto Genoma Vírus, que tem o patrocínio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e reúne aproximadamente 12 centros, entre eles o Hospital Universitário, único da região a integrar o projeto.

Outro ponto destacado por Saulo refere-se à mutação dos vírus. "Existem vírus específicos para cada época do ano, mas atualmente eles não estão respeitando muito essa regra, especialmente numa região como a nossa, que tem as quatro estações do ano em um único dia", salienta.

O pronto-socorro infantil do Hospital Universitário de Jundiaí registrou o pico de 11.824 atendimentos nos meses de maio e junho deste ano, sendo a maioria vítima do vírus causador da bronquiolite, doença que atinge crianças abaixo dos 5 anos de idade, provoca corisa nasal e chiado no peito e, em casos graves, leva à internação para tratamento com oxigênio.

"As mães devem manter a criança saudável, com as vacinas em dia e acompanhamento médico, para poder enfrentar as famosas viroses", orienta Saulo.

Outro ponto destacado pelo especialista é que as mudanças dos vírus têm causado confusão e provocado equívoco no diagnóstico. "Tivemos muitos casos de crianças que chegaram ao hospital como se tivessem pneumonia e que tinham sido tratadas com antibióticos, quando na verdade o que tinham era uma virose", acrescenta.

O pediatra explica que o tratamento para as viroses é sintomático, ou seja, tratando dos sintomas isoladamente para evitar complicações.