Notícia

Todo Dia (Americana, SP)

Novo satélite permite previsão mais precisa

Publicado em 25 dezembro 2018

O Cepagri (Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura), da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), adquiriu um satélite para gerar informações mais precisas e em menos tempo. O sistema de recepção de imagens teve o investimento de R$ 1 milhão e entrou em operação no mês de novembro.

De acordo com o Cepagri, o satélite meteorológico geoestacionário GOES-16 permite que, a cada quinze minutos, o centro receba imagens com informações da superfície, atmosfera, ventos, raios e dados solares com mais detalhamento. “O grande diferencial é que teremos imagens de um terço do globo terrestre, com mais de 60 produtos, entre eles, imagens de convecção de nuvens, precipitação, índices de vegetação, temperatura de superfície, focos de incêndio, CO2, entre outros”, explicou a engenheira cartógrafa e diretora do Cepagri, Renata Ribeiro do Valle Gonçalves.

Ainda segundo a diretora do Cepagri, a Unicamp é a primeira universidade a ter este sistema de recepção de imagens do GOES-16. “Desta maneira, teremos informações para toda esta área. Teremos informações para todo território nacional, mas o Cepagri foca a previsão do tempo para a Região Metropolitana de Campinas”, afirmou Renata. Este é o segundo sistema no Brasil.

O primeiro foi instalado no mesmo mês na Defesa Civil de Santa Catarina. O equipamento teve custo de R$1 milhão. Segundo a diretora do Cepagri, o recurso é fruto de um projeto financiado pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

EQUIPAMENTO

O sistema de recepção de imagens do satélite americano GOES-16 é composto por: satélite geoestacionário (que está no espaço a 36.000 km de altitude); Por uma antena de recepção de imagens (que está instalada na área experimental do Cepagri, na Unicamp); e por dois computadores, um de recepção e processamento das imagens, e o outro de visualização das imagens.