Notícia

Gazeta de Limeira online

Novo reitor assume e planeja a construção de campus em Limei

Publicado em 25 abril 2005

José Tadeu Jorge é um engenheiro típico. Suas palavras prediletas derivam do verbo planejar. Na semana passada, em seu primeiro dia como reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), concedeu entrevista ao jornal "O Estado". "Planejamento é a coisa mais importante quando se pensa em algo chamado reforma. É como reformar a sua casa. A primeira coisa que você faz é imaginar como vai ficar depois de pronta. Duvido que alguém consiga me descrever como é que vai ficar a universidade brasileira depois que esse projeto for implantado".
Já de seus planos ele sabe bem. Está terminando de elaborar o projeto de criação de um novo campus em Limeira, quer aumentar o número de patentes licenciadas da universidade e ampliar programas de formação de professores do ensino básico.
Aos 52 anos, Jorge foi escolhido reitor com 82,59% dos votos, uma quase unanimidade nunca vista na história da Unicamp. Mas transfere os méritos ao seu antecessor Carlos Henrique de Brito Cruz, de quem era vice, que conseguiu dar voz a todos os segmentos da universidade: professores, funcionários e alunos. Brito deixou o cargo antes da hora para assumir a diretoria científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Novo campus
Tadeu Jorge afirmou que a Unicamp tem um terreno de 500 mil metros quadrados em Limeira. "Havia a demanda para ampliação de vagas, olhamos para aquela área e levamos a idéia ao Conselho Universitário. Um grupo de trabalho, presidido por mim, passou a montar o projeto. O projeto deve ser finalizado em dois meses. São 12 cursos, com possibilidade de ser 16", observou. O novo reitor disse que a princípio a idéia não era duplicar os cursos que já existem em Campinas. "Mas resolvemos usar outro enfoque, como um curso de Enfermagem com modalidades em UTI, centro cirúrgico, administração hospitalar, geriatria. Os outros 12 seriam: Ciências do Ambiente, Ciências do Esporte, Licenciatura em Ciências, Administração, Engenharia de Produção, Biologia Computacional, Educação Artística, Produção Cultural, Turismo Rural, Design, Patrimônio e Restauro, Publicidade e Propaganda. A idéia é que haja mil vagas, 250 por ano.", informou. "Queremos entregar o projeto para o governador até o meio do ano, esperando que a construção física possa ser no começo de 2006", explicou.