Notícia

Investe São Paulo

Novo núcleo de estudos da USP usará inteligência de dados para resolver problemas de segurança pública

Publicado em 03 fevereiro 2021

A pesquisa científica que há vários anos se dedica a entender os problemas da criminalidade em São Paulo passa a contar agora com um Núcleo de Inteligência de Dados para o Gerenciamento de Cidades e Segurança (NInDa), iniciativa aprovada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) que terá financiamento de cinco anos e suporte específico para ampliar a criação de soluções no desenvolvimento de cidades sustentáveis e inteligentes, por meio da resolução de problemas dentro do tema da segurança pública.

“Criar condições e mecanismos que conectem cientistas, agentes governamentais de segurança pública e a iniciativa privada em um ambiente colaborativo e envolvente, abordando os problemas da segurança pública de forma ampla e inovadora por meio de ferramentas baseadas em técnicas de ciência de dados e Inteligência Artificial é a principal missão do núcleo. A formação de recursos humanos altamente qualificados e capazes de desenvolver novas metodologias voltadas para prevenção e redução de crimes também é componente importante do NInDa, trazendo assim grande benefício para a sociedade”, explicou o coordenador do núcleo e pesquisador do CeMEAI, Luís Gustavo Nonato.

O NInDa é composto de pesquisadores especialistas em ciência de dados, Inteligência Artificial, monitoramento urbano, segurança pública, cidades inteligentes e IoT, caracterizando uma equipe qualificada e multidisciplinar. Entre os principais parceiros estão o Centro Universitário Facens – Sorocaba/SP, Secretaria Municipal de Segurança Pública da Prefeitura de São Carlos/ SP, Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e o Núcleo de Estudo da Violência – USP / São Paulo. Pela iniciativa privada, a empresa Splice Indústria, Comércio e Serviços é parceira e como órgão não governamental, a Fundação Tide Setúbal.

Os parceiros da iniciativa privada e dos órgãos de governo formam o elo entre a academia e os problemas reais de segurança pública que serão abordados. Desta forma, a principal característica do núcleo é o foco na solução de problemas reais de segurança, criando ainda condições para que as soluções desenvolvidas sejam de fato empregadas pelos parceiros de modo a viabilizar, em primeiro lugar, a concepção de ações preventivas que inibam a atividade criminosa.

Ainda segundo o coordenador, metodologias desenvolvidas no contexto de cidades inteligentes podem auxiliar estudos de fenômenos ligados ao problema da criminalidade. “De particular interesse são os sistemas de monitoramento urbano que vêm sendo construídos no contexto de cidades inteligentes, os quais são capazes de capturar, direta ou indiretamente, informações climáticas, de mobilidade urbana, iluminação, vegetação urbana, dentre outras. Fatores urbanos como a proporção de edifícios residenciais, comerciais e industriais, presença de bares e restaurantes, fluxo de pessoas, presença de parques e praças, fatores climáticos, além, é claro, das condições socioeconômicas, influenciam fortemente no padrão e na dinâmica do crime em cada localidade”, disse.

O projeto busca apresentar soluções e alternativas inovadoras para esse cenário, visando ao desenvolvimento de ferramentas inteligentes que viabilizem a análise conjunta de todos os dados, propondo soluções de baixo custo para a captura de dados e análise preditiva de crimes, além do armazenamento adequado de tais dados de modo a viabilizar seu acesso de forma otimizada pelos parceiros do projeto. “Outro objetivo é a identificação de padrões para a predição de diferentes tipos de crime, como roubo de transeuntes, roubo de carro e roubo de carga. Tendo como base métodos de Inteligência Artificial e Ciência de Dados, os métodos propostos darão subsídios à confecção de políticas públicas baseadas em evidências, auxiliando no planejamento de ações de policiamento preventivo”, disse.

Sistema já auxilia no combate à criminalidade em áreas urbanas

O projeto iniciado em 2016 já apresenta resultados e ferramentas computacionais. Por intermédio de uma parceria com o Núcleo de Estudos da Violência (NEV), os pesquisadores puderam ter acesso a uma grande quantidade de dados sobre crimes na capital paulista que deram origem a um conjunto de ferramentas que possibilitam identificar padrões de crime ao longo do tempo em regiões da cidade, verificando os que mais prevalecem em termos quantitativos, entre outras variáveis.

Recentemente, o trabalho foi veiculado na Agência Fapesp em reportagem explicando a tecnologia. O CeMEAI, neste vídeo, também mencionou pesquisa relacionada que visa a entender a relação entre a criminalidade e infraestrutura no entorno dos grupos de escolas para poder ajudar os formuladores de políticas públicas em suas decisões.

Esse trabalho resultou em um convênio com a Secretaria de Segurança Pública de São Carlos, que utilizará a ferramenta no combate à criminalidade.

“Agora, com a aprovação do NInDa, teremos um grande incentivo para desenvolvimento de outras parcerias e convênios. Seremos um polo de formação de recursos humanos capacitados a empregar e desenvolver tecnologias baseadas em ciência de dados e Inteligência Artificial para a solução de problemas de segurança pública”, concluiu Nonato.

fonte: https://www.cimm.com.br/portal/noticia/exibir_noticia/20823-novo-nucleo-estudos-usp-usara-inteligencia-dados-resolver-problemas-seguranca-publica

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
CIMM - Centro de Informação Metal Mecânica